Matérias | Economia


PEQUENOS NEGÓCIOS

Empreendedores ganharam força com a pandemia, mas categoria tem novos desafios

Brasil bateu recorde de abertura de MEIs na pandemia, com marca de 11 milhões de novos negócios

Redação DIARINHO [editores@diarinho.com.br]

Empreendedora de Balneário se reinventou em meios às mudanças e conseguiu alavancar negócios (foto: joão batista)

Em meio à pandemia, o Brasil bateu recorde de microempreendedores individuais (MEIs), passando a marca dos 11 milhões de pessoas com negócio próprio. A importância do empreendedorismo ganhou evidência nessa semana pelo dia Nacional das Micros e Pequenas Empresas. Mas apesar do reconhecimento na geração da maior parte dos empregos, os pequenos negócios ainda seguem com dificuldades pra se manter num mercado cada vez mais competitivo.


Balneário Camboriú, Itajaí e Camboriú somam cerca de 45 mil pequenos empreendedores registrados. Segundo a associação de Micro e Pequenas Empresas e Empreendedores Individuais de Balneário Camboriú (Ampe), o crescimento de MEIs vem aumentando numa média de 8% ao ano, numa alta que traz a necessidade de ações diferenciadas para os empreendedores enfrentarem os desafios e alavancarem os negócios.

Continua depois da publicidade



Em Balneário Camboriú, a esteticista e designer de sobrancelhas, Clara Luiza da Graça Lutz de Veiga, trabalha há seis anos no setor de estética. Na pandemia, apesar da baixa no movimento, ela relata que conseguiu renovar as ideias, se adaptar as mudanças e ainda fazer investimentos. Bem no início da quarentena, Clara mudou o estúdio para uma sala maior, contando com um empréstimo de R$ 10 mil pra preparar e equipar o novo local.

A empreendedora conta que a decisão foi tomada na “cara e na coragem”. “Mas deu tudo certo e hoje estou bem feliz”, comenta. Ela lembra que conseguiu manter a maioria das clientes, trabalhando no limite dos custos, e as clientes que deixaram de buscar o atendimento aos poucos estão voltando.

A pandemia serviu como estímulo pra Clara intensificar a presença na internet. O perfil que existia só no Facebook, sem muita atualização, ganhou força no Instagram, que virou a principal vitrine do trabalho da profissional. Clara destaca que aprendeu “na marra” a mexer na plataforma, por onde divulga seu trabalho e mantém contato direto com clientes.

No estúdio na rua 2000, no centro de Balneário, a esteticista conta com uma equipe de quatro profissionais. Além de zelar pela qualidade nos serviços estéticos, Clara investiu pra criar um ambiente agradável aos clientes e com atendimento personalizado. Ela entende que essas ações ajudam a fidelizar o cliente e tornam o serviço diferenciado diante da concorrência do mercado.

Continua depois da publicidade



Como pequena empreendedora, Clara destaca que uma das principais dificuldades é conquistar credibilidade das grandes empresas e enfrentar a saturação do mercado. Nesse contexto, ela defende que a união de forças por meio de associações e parcerias com outros empreendedores fazem a diferença. Ela destaca que linhas de crédito para os pequenos negócios também são medidas importantes para o empreendedor fazer o negócio crescer.

No caso dela, Clara tomou empréstimo para pagar em 32 vezes numa linha para MEI sem juros. “Se a gente não tivesse essa condição de empréstimo, nós, como MEIs, não teríamos meios de se movimentar”, avalia.

Empreendedores têm novos desafios no pós-pandemia

Pequenos negócios são geralmente na área de comércio e serviços

O presidente da Ampe de Balneário Camboriú, Antônio Demos, destaca que a força dos microempreendedores e dos pequenos negócios deve ser destacada mas é preciso que as empresas também sejam valorizadas e tenham tratamento diferenciado pra que não fechem as portas precocemente.

A maior parte dos pequenos negócios é da área de comércio e serviços, que estão puxando os indicadores positivos na recuperação da economia do estado na pandemia. No pós-pandemia, no entanto, as pequenas empresas têm outros desafios a superar, segundo alerta o dirigente.

“Hoje, embora a economia esteja se aquecendo, as micro e pequenas empresas estão enfrentando novas dificuldades como inflação alta, preço dos combustíveis e taxa de juros nas alturas, dificultando os negócios em toda sua amplitude”, comenta.

Antônio afirma que a entidade tem atuado pra atender às necessidades da categoria, entre qualificação da gestão, acesso ao crédito e uso da tecnologia. Nessa semana, a associação ofereceu oficinas para filiados e comunidade em geral sobre abertura e gestão de MEI, divulgação dos negócios pelas redes sociais e estratégias de vendas.

 

Pronampe já atendeu mais de 517 mil empresas

Criado pra socorrer os pequenos empreendedores durante a pandemia, o programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe) se tornou uma política pública permanente em junho. Desde o ano passado, o programa concedeu mais de R$ 37,5 bilhões em empréstimos pra mais de 517 mil pequenas empresas.

As condições especiais de crédito seguirão mesmo após o fim da pandemia, com prazo mais longo pra pagamento e juros menores que os aplicados no mercado de crédito. A taxa do programa soma o percentual da Selic (hoje em 6,25%) mais 1,25%. O prazo de pagamento é de até 48 meses, com a primeira parcela podendo ser paga após 11 meses do início do contrato.

O Pronampe foi criado em projeto do senador catarinense Jorginho Mello (PL), presidente da Frente Parlamentar da Micro e Pequena Empresa. Em sessão especial na Câmara na terça-feira, ele cobrou a votação de outros projetos pra categoria, como o novo Refis, que vai facilitar o pagamento de dívidas dos empreendedores.

“São esses empreendimentos que afetam diretamente a economia nacional, pois, entre outros resultados positivos, são fontes de criação de postos de trabalho. Os empresários de micro e pequenas empresas representam aproximadamente 98% dos negócios ativos no Brasil e formam a base da economia brasileira”, destacou.

O projeto de Renegociação em Longo Prazo (Relp), de autoria do senador, amplia abrangência do programa de Recuperação Fiscal (Refis) e permite o parcelamento de dívidas de micro e pequenas empresas. A proposta foi aprovada pelo senado em agosto e enviada para câmara dos Deputados, onde espera pela votação.

Pelo texto aprovado, as dívidas fiscais poderão ser parceladas em até 188 vezes (entrada de 8 parcelas + 180 prestações) e dívidas previdenciárias em até 60 vezes, por empresas optantes pelo Simples Nacional. O projeto original previa o pagamento em até 480 vezes (40 anos) e abrangia todas as empresas.




Comentários:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.


Envie seu recado

Através deste formuário, você pode entrar em contato com a redação do DIARINHO.

×





54.211.101.93

Últimas notícias

Navegantes

Motociclista morre ao invadir contramão da BR 470

Itajaí

Motorista passa direto em cruzamento e causa acidente no centro

Novo sucesso

Vitor Kley lança versão acústica de "O Amor Machuca Demais"

Santa Catarina

Matriz de risco da covid aponta 13 regiões no nível moderado

Reconhecimento

Prêmio Fritz Müller é entregue a entes públicos e privados que aliam sustentabilidade e produção

Chegou a hora

Temporada de verão abre neste sábado em BC

Acidente

Carro invade trevo de acesso à Itajaí

Olho na sorte

Mega-Sena pode pagar prêmio de R$ 16 milhões neste sábado

Pandemia 

Penha cancela réveillon e programação de shows nacionais  

São Chico 

Suspeito de estuprar senhora com uso de vibrador é preso no litoral



Colunistas

JotaCê

Novo tempo

Jackie Rosa

Um café daqueles...

Via Streaming

“Raised by Wolves”

Na Rede

Na Rede

Instituto Ion | Informando e Inovando

O PIX veio para ficar ou não?

Canal 1

SBT tem uma cartilha de mudanças para os próximos tempos

Coluna Adjori SC

Abaixo-assinado cobra mais atenção para as rodovias federais catarinenses

Coluna Esplanada

O “terrível” Grandioso

Espaço InovAmfri

Dados para salvar o meio ambiente

Clique diário

Paisagem

Coluna esquinas

Ferida aberta

Coluna do Janio

Boas notícias no Marinheiro

Coluna Tema Livre

Corrida presidencial

Coluna Exitus na Política

Sonhos em Tarimbas

Coluna do Ton

Inauguração

Coluna Fato&Comentário

“Anuário de Itajaí”- edição especial

Coluna do Frei Betto

Império do medo

Artigos

Um tributo à verdade



TV DIARINHO


Entrevistão Rodrigo Fernandes Juiz do Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina





Especiais

Meio Ambiente

Juarez Müller, o homem das árvores e flores, recebe homenagem na Câmara de Vereadores

Escotismo

Grupo Lauro Müller volta renovado após quase dois anos de incertezas

REGIÃO

Confira a lista das escolas particulares

SESC/SENAI

Escola S alia grade curricular básica ao ensino tecnológico e bilíngue

Colégio Energia

Líder em aprovação, Energia acumula 25 anos de credibilidade, qualidade e inovação



Blogs

Blog do JC

Instagram de controlador da prefa de Penha é hackeado

A bordo do esporte

Contagem regressiva de sete meses para a Globe 40

Blog Doutor Multas

Recurso suspensão CNH: como fazer?

Blog do Ton

Líbere Fashion Show

Blog da Ale Francoise

Você conhece a seiva do dragão?

Blog da Jackie

BALNEÁRIO FASHIOW foi SHOW

Blog Clique Diário

Ilha das Cabras - Balneário Camboriú

Bastidores

Um olhar sobre o teatro de escola



Entrevistão

Rodrigo Fernandes

"Os jovens, com certeza, têm a capacidade e o potencial de mudar o resultado de uma eleição”

Érica Becker e Pedro Junger

“Já tem dados que comprovam que o ser humano está ingerindo o próprio plástico que insere nos oceanos”, Érika Becker

Ciro Gomes

"O brasileiro tá pagando agora o preço do derivado de petróleo, da gasolina, em dólar”

Guido Petinelli

O melhor empreendimento é aquele que enriquece o bairro.”



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯