Serviços | Cartas do Leitor


Calçadão do Gravatá:

Publicado em 20/10/2021

 

“Pela vontade e ligeireza, o calçadão parece que não vai ficar pronto até o Natal. Saudações.”

 

Ass: Arno

(Transcrito Ipsis Litteris)


MP rebate coluna do JC

Publicado em 19/10/2021

“O Ministério Público propôs a Ação Civil Pública n. 0005374- 85.2013.8.24.0005 na Comarca de Balneário Camboriú em face do Município de Balneário Camboriú/SC e Cristiano José Bruxel, com o fim de promover a efetiva proteção do imóvel, localizado na rua Hermógenes de Assis Feijó, bairro da Barra, Balneário Camboriú, tendo em vista a irregular construção de edificações em local não permitido, sem qualquer fiscalização e aprovação para parcelamento do solo urbano pelos órgãos competentes. O local é conhecido como Vila Fortaleza.

Houve o deferimento parcial dos pedidos formulados na exordial, condenando os requeridos a promoverem a demolição dos imóveis construídos no local, que não tenham projeto aprovado, além do desfazimento do loteamento irregular, determinando-se a promoção da recuperação da área degradada.

Os requeridos Município de Balneário Camboriú e Cristiano José Bruxel recorreram. 

Durante a tramitação do recurso, veio a esta Promotoria manifestação da Associação de Moradores do Vila Fortaleza, indicando o interesse na celebração de acordo para promover a regularização de parte das ocupações.

Gabinete da 5ª Promotoria mediou as negociações entre Município de Balneário Camboriú, Associação de Moradores da Vila Fortaleza e o proprietário do imóvel. A ordem financeira seria lastreada no instituto da Transferência do Direito de Construir, previsto na legislação municipal de Balneário Camboriú/SC, e que se constitui espécie de título público, a ser emitido pelo Poder Executivo, local em favor do proprietário do imóvel que seria cedido aos moradores do Vila Fortaleza. Esclarece-se que o valor não foi arbitrado pelo Ministério Público, mas pelo próprio poder público municipal.

Todavia, após a definição de obrigações para o acordo, o Município de Balneário Camboriú abandonou as tratativas e esvaziou seu objeto. Em termos práticos, foi discutido um acordo, o qual não foi concluído. Não havendo acordo, a Promotoria de Justiça noticiou o fato ao Tribunal, requerendo o julgamento dos recursos.

 

Ass: Isaac Sabbá Guimarães

 

Ndr: O promotor rebate a nota publicada na edição do dia 17 de outubro, intitulada “Conselhos do Advogado”.


Autoatendimento e fechamento de postos de trabalho

Publicado em 19/10/2021

Muitas pessoas aqui, do Brasil, achavam uma maravilha quando se anunciava, nos Estados Unidos, em alguns países europeus e nos milionários países asiáticos, que, em postos de combustíveis, os próprios motoristas podiam escolher uma bomba de combustível, pagar em uma máquina, com dinheiro ou cartão, e, assim, abastecer seu próprio veículo. Ou, ainda, quando, em alguns casos, pagavam seu bilhete do metrô, sem ter contato com algum atendente mal humorado. Entrar em um supermercado, comprar, embalar e pagar com o cartão, ou dinheiro, sem esperar a lentidão de um operador de caixa em treinamento. Uau! Que coisa linda de se ver.

Mas, lá fora, calibrar o pneu do automóvel tem um custo. São centavos de dólar ou euro, mas tudo bem. É a “modernidade”.

Mas estão chegando, por aqui, tais benesses do consumo sem contato, sem aborrecimento. Eita, que bom!

Nada! Vamos ter que pagar para calibrar nossos pneus. Às vezes, nem temos as tais moedinhas no bolso. Toma cartão para pagar cinquenta centavos.

Vamos ter que abastecer nossos veículos. Bom?! Nem tanto. Sairemos dos postos com cheiro de álcool ou gasolina ou diesel em nossas mãos. E limpá-las onde?

Nos supermercados, os atendentes descompromissados não nos perturbarão, mas, de fato, faremos o serviço que era deles.

Espere um pouco... E o desemprego? Faremos o serviço de outro achando isso bom, mas nos esquecendo que estamos contribuindo com o fechamento de postos de trabalho. Vamos achar isso bom?

Tem modernidade que vem para pior. Isto só em alguns setores, mas teremos muito mais desempregados em curto espaço de tempo. Talvez, em um ou dois anos! Pensemos, agora, no amanhã!

Ass: Gregório José - Jornalista/Radialista/Filósofo / Pós-Graduado em Gestão Escolar / MBA em Gestão Pública


Sonzeira não!

Publicado em 13/10/2021

“Parabéns para os representantes do povo de Itapema pela iniciativa de proibir a utilização de caixas de sons e churrasqueiras nas praias. Que este exemplo sirva  para outros municípios.“Alô, prefeito de Navegantes.”

Ass: Arno

(Transcrito Ipsis Litteris)


Advogado João Martins responde ao JC

Publicado em 04/10/2021

 

“Permita-me esclarecer alguns pontos levantados por você, colunista JC, na coluna de ontem [quarta-feira] e de hoje [quinta-feira], já que não sou o dono da verdade, mas você também não é. Como houve comentários sobre vários assuntos, pontuo-os para melhor compreensão sua e dos seus leitores.

“CPI da Inquisição”

Perceptível sua enorme preocupação quanto a gradação da voz da vereadora Anna Carolina, da oposição, chamando o tom elevado que ela usa de “falta de educação”. No entanto, até o momento você não cobrou punição para os servidores responsáveis pelo enorme prejuízo causado ao erário público, valor superior inclusive ao da famigerada e caríssima reforma da Praça da Matriz. Acho estranho essa omissão por parte de você, JC.

Também, não li nada em sua coluna quanto a compra, documentada, de máscaras que custavam R$ 5, mas foram compradas pelos zelosos servidores pela bagatela de 35 reais. Tudo normal, portanto.

A meu ver, as pessoas inquiridas até agora precisam ser constrangidas sim. Pois assinam ser ler, aceitam ser fiscais do contrato sem saber disso, assinam recebimento de mercadorias que não receberam, diretor que nada sabe, mente e atribui culpa a “equipe” sem nominar as pessoas, dando a entender que na prefeitura de Itajaí, o controle de compra e recebimento de mercadorias é uma esbórnia.

“Tal pai, Tal filha”.

Você se equivocou, JC.  Não fui eu quem achicalhou você nos grupos de Zap. Não fui eu, por exemplo, que o chamou de “malandro”. Também não fui eu quem o chamou de “boca alugada do Volnei Morastoni”.

Para teu comando, geralmente sou respeitoso para com todos e todas, apenas tenho reservas contra pessoas que usam de má-fé, dissimulação ou desprovidas de Inteligência mínima. Portanto, como não o enquadro em nenhuma das condicionantes acima, porque não o trataria de forma respeitosa?

“Agir como agem, pai e filha” Sinceramente? Hipocrisia não me cabe, JC.

Não quero ao meu lado, frequentando a minha mesa, a minha casa, no meu círculo de amigos, pessoas falsas, hipócritas, sem eira nem beira na política, criminosos que já deveriam estar presos aí pousando de bons mocinhos,

E, mais, JC, segundo você, o correto politicamente é o prefeito Volnei Morastoni que abrigou toda a bandidagem política de Itajaí em seu governo. Isso é correto? Achas mesmo que eu iria querer ver minha filha um dia ser prefeita para abrigar e dar emprego para político bandido, é?

Você mente quando diz em sua coluna: “Age igualzinho ao pai. Humilha, publicamente, adversários, xingando, de tudo quanto é nome e, depois, pede para o humilhado dar um pulinho no seu gabinete pra prosear amenidades”. Te desafio a citar um único caso que eu tenha convidado algum desafeto para trocar figurinha? Quanto a vereadora Anna Carolina, o que me chega é diferente. As pessoas vão ao seu gabinete cheias de “boas intenções” assumem compromisso de votar assim e assado, mas depois pressionadas pelo governo, publicamente, e descaradamente, desdizem em público aquilo que afirmavam no particular. 

Eleição na OAB

Sou democrata por natureza, portanto JC, defendo que em tudo e para tudo haja sempre a contrariedade e a oposição, pois isso mantém vivo o ideal libertário e afasta o comodismo daqueles que ocupam cargos eletivos.

OAB é uma entidade diferente das demais, em nada se parece com o conselho de medicina, engenharia, etc. A OAB se caracteriza pelo contraditório, pela defesa das instituições democráticas, pela defesa das pessoas desassistidas e pela defesa intransigente da classe, sem titubeios.

Também, uma subseção com a de Itajaí que tem mais de 2500 advogados inscritos, necessita de atenção quase que exclusiva do advogado que a preside, com enorme prejuízo no campo pessoal, profissional e principalmente financeira. Isso é fato que não merece mais discussão.

Portanto, sou reticente à candidatura constituída na boca da eleição apenas para ajudar a chapa estadual. Lamentavelmente, tem advogado que se sujeita a ser candidato à presidente da subseção tão somente para fazer favor, ou atender o pedido do candidato estadual, sem ter o mínimo conhecimento das dificuldades que o esperam, caso seja eleito.

Por isso é preciso saber quem o candidato presidente atenderá primeiro: quem lhe remunera ou quem lhe onera? Presidência de subseção é encargo, é oneração financeira, dispêndio de tempo, inclusive finais de semana e nas madrugadas.

Então, JC,. Dou-te dois exemplos: Se o presidente for servidor público e não puder se afastar do local de trabalho, mas precisam dele para acompanhar um colega que foi preso em flagrante na polícia federal, o que achas que acontecerá?

Também, JC, vai que um colega advogado se desentenda com o juiz durante a audiência e recebeu voz de prisão, sendo exigida a presença do presidente da OAB, mas ele está ministrando aulas ou provas e teve que desligar o celular, como ficará o colega nessa situação?

Então JC, para ser presidente de uma subseção trabalhosa como a nossa, o advogado há de querer ser presidente, demonstrando sua intenção com um bom tempo de antecipação, acompanhando no que puder os trabalhos desenvolvidos pela entidade, e não cumprir tabela  somente porque outros que as vezes nem são do município, estão a caça de um candidato seja ele quem for, independente das consequências que haverá no futuro para toda a categoria.

É apenas isso, JC. Vai que eu esteja errado por querer o melhor para nós advogados e seu escrevinhador secreto esteja correto fazendo crer aos leitores que a eleição da OAB é apenas mais uma eleição como qualquer outra, onde o candidato depois de eleito se diz enganado e fecha as portas da entidade até a próxima eleição, como já aconteceu mais de uma vez em Itajaí.”

 

At.: João Martins

(Transcrito Ipsis Litteris)


Falta iluminação

Publicado em 30/09/2021

"Venho novamente pedir auxílio, pois moro na rua Isaac José de Souza e a que dá acesso a ela, Valdevino Vieira Cordeiros, estamos enfrentando problemas que a Prefeitura/Ouvidoria/Blitz Urbana não estão sabendo conduzir.

Na reportagem anterior, vocês nos ajudaram com o reparo de iluminação pública na rua Valdevino. Mas  somente um dos postes reparados funciona. O outro, não mais. Sempre foi assim, de acordo com morador antigo próximo ao local. A situação na Isaac José de Souza é pior.

O calçamento está todo estourado, o poste que tem energia e cabos das operadoras está com galho entre cabos, abandonado, de fibra ótica pela Oi (só colocaram e largaram assim como outras operadoras). Não é feita a limpeza do córrego atrás do final da rua e está surgindo vegetação dentro do córrego e logo teremos transbordamento, bueiros não são limpos, somente os donos fazem a manutenção limpando galhos, varrendo. A ambiental vem uma vez por semestre e o que é mantido está por conta dos proprietários.

Nosso poste de iluminação, o único, apresenta falhas e tem dias que só funciona após à meia noite. Estamos expostos à ação de meliantes. Pessoas tiveram casas danificadas pelo calçamento (eu fiz um vídeo da rua e posso enviar). A Blitz Urbana não nos atende ao telefone (não possuem nem site nem outro meio) e proprietários da região têm diversas reclamações não atendidas. Só para terem uma noção, já são 34 apartamentos em uma rua de 200 metros.

Nosso IPTU anual é da ordem de 14 mil reais e a limpeza na ordem de 1800 anuais (somente Isaac José). Porém, a péssima contrapartida do governo de Itajaí é: poste queimado, rua destruída, córrego prestes a transbordar, fios amontoados de telefonia causando danos aos assinantes, sujeira que precisa de terceirização do nosso bolso para fazer aquilo que deveria ser a prefeitura - limpeza da via pública. Como já ouvi dizer, aqui só tem no máximo 34 votos e ninguém se importa.

Ass: Cristiano Cataldi

(Transcrito Ipsis Litteris)


Serviço pendente

Publicado em 18/09/2021

 

O serviço de fornecimento de água depende da instalação de alguns itens para que o trabalho seja concluído. Mas o que fazer quando esse não é feito por falta de material da empresa responsável? E, nesse perrengue, está o professor Micael Cesar de Oliveira, 33, que, há mais de um mês, espera a nova instalação de água e não é feita por falta do relógio medidor, hidrômetro, que é de responsabilidade da concessionária Sesan. O pedido para instalação aconteceu após o financiamento de um imóvel novo no bairro São Paulo, em Navegantes. E o andamento, sem prazo, do serviço tem afetado diretamente sua vida e impossibilitado de realizar atividades simples como lavar uma louça ou tomar banho. A instalação, que leva geralmente sete dias, completa hoje 35 dias. E essa segue acompanhada de reclamações junto à Prefeitura e, futurament,e de uma ação por pequenas causas. O que não faz a Sesan concluir o serviço?

Ass: Micael Cesar de Oliveira

(Transcrito Ipsis Litteris)


Sugestão

Publicado em 18/09/2021

Tenho lido e visto, na TV, que querem fazer um túnel na altura da balsa na barra do rio.

Oras, naquela altura, não tem navio, e o custo de uma ponte seria muiitooo menor.

Apreciaria que publicassem esta sugestão no jornal.

Ass: Arno Scharf

(Transcrito Ipsis Litteris)


Ricardo Collyer fala sobre o 7 de setembro

Publicado em 17/09/2021

Carta resposta à matéria publicada no DIARINHO do dia 09/09/2021 sobre as manifestações do dia 07 de setembro.

A Lei nº 13.188/2015 e o art. 5º inciso V da CFB, asseguram ao ofendido o direito de respostas em matéria divulgada, publicada ou transmitida por veículo de comunicação social, com o mesmo destaque e publicidade de ofensa.

Nesse sentido, venho por meio desta, de forma muito respeitosa, contrastar os equívocos notificados neste importante meio de comunicação a fim de trazer a verdade dos fatos para todos os prezados leitores.

No dia 1º de maio, ao lado de um grupo de inúmeros cidadãos brasileiros, sem qualquer vínculo a partido político, mas verdadeiramente preocupados com o cenário político nacional, organizamo-nos de forma voluntária e absolutamente espontânea para manifestar nossas angústias nas ruas de nossa linda Itajaí.

De pronto, facilitamos esse desejo popular e viabilizamos a carreata do Dia do Trabalhador, classificada por representante da Codetran, órgão tal que merece total a admiração popular, como a maior já realizada na cidade.

Assim, de forma semelhante, nos apresentamos também em 1º de agosto, buscando defender o Voto Auditável e o respeito aos direitos fundamentais elencados no art. 5º, e seus incisos da Constituição Federal.

Os dois eventos, registrados neste jornal, foram também amplamente divulgados em redes sociais e movimentaram algumas milhares de pessoas de toda a cidade e região, refletindo os desejos de mudanças e respeito aos direitos individuais de uma vasta parcela da sociedade.

Como não poderia ser diferente, esse engajado grupo de voluntários, resolveu se manifestar democraticamente no dia 07 de setembro. Contratamos o mesmo carro de som e encomendamos faixas e bandeiras da mesma gráfica dos eventos anteriores. Pronto! Estávamos preparados para manifestação do dia da Independência do Brasil aos moldes do que aconteceria em todo o país.

Em dado momento, houve contato entre o grupo do sr. Alex Oliveira e o nosso, havia um desejo semelhante de se manifestar no mesmo dia e lugar. Levando em consideração que o sr. Alex havia participado no dia 01 de agosto, de uma forma natural, orgânica, sem pré-arranjos ou contato prévio.

Após reunião social e diálogos via Whatsapp, ficou acertado que nosso grupo levaria o carro de som com faixas e bandeiras, e que compartilharíamos democraticamente, o uso da palavra, alternando o microfone entre nós.

Antes do evento, houve participações em programas de rádios da cidade comunicando e convidando a população para estar conosco naquele dia, vídeos foram gravados pelos dois grupos juntos e uma carta escrita por nós, direcionadas aos cidadãos foi lida em audiência pública na Câmara de Vereadores de Itajaí.

Nosso grito seria por Liberdade. Defenderíamos princípios basilares: DEUS, PÁTRIA E FAMÍLIA.

No entanto, por algum motivo, até o momento não decifrado, recebi um inesperado ataque difamatório por parte do sr. Alex que foi publicado nas páginas deste veículo de comunicação.

Ante aos embustes registrados por ele, trago aos leitores a verdade dos fatos, facilmente comprovadas por vídeos, registros, no WhatsApp, recibos e testemunho de diversos cidadãos presentes neste grande momento cívico e ordeiros.

De qualquer modo, desejo de coração que o Sr. Alex vença o mal que abateu e avalie melhor o ocorrido, pois “Bem-aventurados são os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus”. Sinceramente,

Ass: Ricardo Collyer – Itajaí – 14/09/2021

(Transcrito Ipsis Litteris)


Patrick Dauer rebate JC

Publicado em 11/09/2021

 

"Primeiramente, quero dizer que sou um leitor assíduo da coluna do JC, e o admiro como jornalista. Em nenhum momento, eu apoiei manifestações de ódio, participo e sempre participei de movimentos democráticos que defendem a pátria, a família e a justiça. Meu apoio foi a todos os cidadãos que lutam por esta causa, pela garantia dos seus direitos, direitos estes regidos pela Constituição Federal e que têm sido desrespeitados por um órgão que deveria garanti-los. Nós vivemos em um país livre e democrático e temos o direito de discordamos das ações praticadas pelos órgãos que regem o nosso país. Fui, sim, para a Paulista participar das manifestações, pois tive a coragem de sair da zona de conforto e fazer a minha parte, não adianta reclamar, temos que agir. Se nós queremos deixar um legado positivo, para as próximas gerações, temos que defender aquilo que acreditamos, independentemente, de partido político. O povo não sabe o poder que tem. Se todos se unirem, podem mudar qualquer coisa. O Supremo é povo e sempre será. Não haverá Supremo Tribunal Federal, Senado, Câmara dos Deputados, ou seja lá o que for, que irá calar aqueles que buscam por justiça.  Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos; Mt 5:3-12."

Ass: Patrick Dauer

(Transcrito Ipsis Litteris)


Manoel Antônio Fogaça - Peninha - Mezenga

Publicado em 09/09/2021

Há sete dias nos deixou o engenheiro, empresário, marceneiro e artista, itajaiense por adoção, Manoel Antônio Fogaça, o Peninha, esposo da artista plástica Ana Fogaça e pai de Guilherme e Mariana.

Nascido em São Miguel Arcanjo, São Paulo, em 1940, ele fez militância estudantil como integrante do DCE da Universidade Federal do Paraná. Esteve preso em 1968, o ano que não terminou, segundo Zuenir Ventura.

Após seu casamento com a itajaiense Ana Maria, filha do empresário Osny Pereira, Peninha se estabeleceu em Itajaí e com a “Terra e Mar Engenharia”,  participou da expansão da indústria catarinense no ramo de pontes rolantes.

Anos de empresário, não esconderam a grande alma de artista e amante da natureza, no que fazia um par perfeito com a artista Ana Fogaça. No sítio em que passaram a residir na Paciência, interior de Itajaí, Peninha se desvelava no cultivo de um verdadeiro jardim a céu aberto e nos trabalhos artísticos de sua bem cuidada marcenaria, dedicado à feitura de encantadores brinquedos e obras de arte.

Rápida e grave enfermidade o levou inesperadamente de seu pequeno Nirvana ao Paraíso eterno. Descanse em Paz!

Ass: E. D.

(Transcrito Ipsis Litteris)


Molhe do Gravatá

Publicado em 08/09/2021

 

“Li no jornal que a prefa vai fazer empréstimo de 21 milhões. Pergunto: Onde está a grana do molhe que veio ano passado e os serviços estão parados?”

Ass: Arno Scharf

(Transcrito Ipsis Litteris)


Privatização 

Publicado em 02/09/2021

 

“Não se entende porque o governo de Itajaí gasta tanto dinheiro com a mídia para não privatizar o porto de Itajaí. Pelo jeito, o exemplo do porto de Navegantes não serve, ou não querem largar a teta?”

 

Ass: Arno Scharf

(Transcrito Ipsis Litteris)


Vaquinha para ajudar Benjamim

Publicado em 01/09/2021

 

“Benjamim encontra-se internado em estado grave na UTI  de Joinville.  A família precisa de sua ajuda para custear as despesas com deslocamento e exames. Ele não tem previsão de alta e poderá ficar alguns meses entubado.

Benjamim nasceu com uma síndrome não identificada e hoje tem cinco anos e nos últimos dias estava expelindo sangue pelo nariz e boca. Ele foi a Joinville para uma consulta em uma clínica particular, pois o SUS estava demorando muito com o encaminhamento. Ele foi internado na mesma hora, às pressas, sedado e entubado em estado gravíssimo.

Fizemos uma vaquinha online para arrecadar fundos para as despesas com este pequeno anjo segue o link https://www.vakinha.com.br/r/2329426/jucemara-aparecida-paim-ribeiro”.

Ass: Voluntários(Transcrito Ipsis Litteris


25 de agosto - dia do soldado

Publicado em 27/08/2021

“Há pouco tempo comemoramos 200 anos do nascimento do grande e honrado brasileiro Marechal Luis Alves de Lima e Silva - Duque de Caxias - patrono do exército brasileiro. Caxias foi e continua sendo exemplo de Cidadão, soldado e estadista.

Em 1944 o brasil enviou para a Europa, uma força expedicionária. Comandada pelo grande general Mascarenhas de Moraes, designada para combater na Itália, compondo com o exército dos Estados Unidos. Na

Itália a Feb demonstrou o heroismo do soldado brasileiro, combatendo com denodo e disciplina o poderoso exército inimigo, cobrindo-se de Glórias.

Lembro-me com saudade o meu tempo de Caserna, quando prestigiei o Serviço Militar no ano de 1958 no famoso Rec-Mec em São Paulo - 2° esquadrão de reconhecimento mecanizado. Oxalá todo jovem pudesse passar um ano numa unidade militar das forças armadas.

Foi um ano de muito aprendizado, foi uma verdadeira escola onde aprendi hierarquia, disciplina e sobretudo o respeito pelo próximo e coisas alheias.

Lembro-me também, do bonito hino “canção do exército” inclusive possuo um cd gravado pela banda do 23° bi “coloque uma banda na Rua e o povo a seguirá, para a festa ou para a guerra”. (napoleão bonaparte)”.

 

Ass: Agostinho Braz de Oliveira - Balneário camboriú

(Transcrito Ipsis Litteris)


Quer privatizar a Celesc

Publicado em 19/08/2021

“Já está passando da hora de privatizar a Celesc. Porque o governo insiste tanto em manter uma empresa arcaica que dá prejuízos aos moradores fornecendo energia irregular

Tem truta ai

 

Ass: Arno Scharf

(Transcrito Ipsis Litteris)


É isso mesmo?

Publicado em 17/08/2021

“Bom dia!

Fineza publicar, no jornal, o seguinte absurdo: Isenção de alvará de funcionamento.

Questionada sobre alvará de funcionamento, a Ouvidoria do Município de Navegantes responde que  eles teriam isenção de alvará.

Existe isso???“

Ass: Arno Scharf

(Transcrito Ipsis Litteris)


Greve dos servidores

Publicado em 12/08/2021

“ Registro aqui a situação a qual passei nesta segunda-feira com a greve dos professores.

Fui levar minha filha a creche e tive a bela surpresa que ela não poderia acessar a creche pois os professores estavam de greve (efetivos e  ACT), estava eu lá com ela no colo, a empresa me cobrando para resolver onde deixar minha filha e eu simplesmente sem saber o que fazer... sem chão...pega de surpresa. Tendo que faltar ao trabalho por não ter com quem deixar minha filha.. diante da situação que me opuseram.

Segundo informações da creche, a greve está acontecendo não por aumento de salário e sim pela falta de reajuste anual  que não ocorre há pelo menos dois anos! O que me causa espanto!  Pois eu mesmo recebi faturas de água, luz e IPTU reajustadas.  Por que não reajustar os salários daqueles que atendem, de fato, a população?

Me causa ainda mais espanto ao analisar que meus impostos cobrem reajustes salarias de vereadores como notei em anexo, claro que não inclui ano 2020/2021 pois está informação já deveria constar no site da câmera de vereadores, mas não a encontrei, lamentavelmente.

Solicito uma solução plausível para o caso, pois sou mãe e para sustentar minha filha preciso trabalhar!

Favor fornecer o que é de direito daqueles que servem a população!

Acredito que se estivesse sido reajustado não precisaria eu, uma mulher guerreira, trabalhadora, determinada e mãe vir aqui se humilhar pedindo um direito básico e constitucional à minha pequena e à minha pessoa.”

Ass: Simone Duarte

(Transcrito Ipsis Litteris)


Cobra conta da prefeitura de BC

Publicado em 04/08/2021

“Tenho um assunto com a prefeitura de Balneário Camboriú. Estou indignado, pois em 2012 eu prestei um serviço no Hospital Ruth Cardoso, coloquei os vidros e alumínios dos guichês da entrada do hospital que estão lá até hoje. Na época era para a Cruz Vermelha, mas a responsabilidade é do município de BC.

Foi feito um depósito no nome da empresa RWC Alumínios, mas não foi o combinado, pois eu sou MEI a minha empresa não possui conta corrente e sim somente de pessoa física.

Em dois dias o dinheiro voltou para a conta do município. Depois de muitas idas ao hospital nada foi resolvido. No hospital me mandaram ir para a secretaria da saúde, que eles pagariam, mas até hoje nada foi resolvido... Depois de um bom tempo pediram para que cobrasse da prefeitura. Mais uma vez, muitas  idas a prefeitura nada resolvido.

Fui para a justiça e a justiça colocou como se eu tivesse recebido, mas tenho provas que não recebi nada. Já se passaram nove anos, já conversei até com o prefeito Fabrício Oliveira e ninguém faz nada.

Coloquei e paguei todo os vidros e alumínios, tirei dinheiro do meu bolso e não ganhei um centavo. Não sei mais a quem recorrer.”

 

Ass: Romeu Markmann

(Transcrito Ipsis Litteris)


Reparos geram dúvida

Publicado em 03/08/2021

“O assunto já foi para a Ouvidoria do Município e ao Ministério Público, com respostas evasivas. Mas, toda hora, estão reparando sarrafos do calçadão, que é de madeira, enquanto outras praias, como a Brava e Itapema, puderam fazer de pawers. Há quem diga que o meio ambiente não permite, mas por quê outras praias podem fazer? São recursos jogados ao ralo, além do incômodo de trancar para passagem o trajeto em obras.

O povo do bairro anda indignado com o assunto e até desconfiado de alguma treta.”

Ass: Arno

(Transcrito Ipsis Litteris)


Cartas do Leitor


Calçadão do Gravatá:

  “Pela vontade e ligeireza, o calçadão parece que não vai ficar pronto até o Natal. Saudações.”   ...

MP rebate coluna do JC

“O Ministério Público propôs a Ação Civil Pública n. 0005374- 85.2013.8.24.0005 na Comarca de Balneário ...

Autoatendimento e fechamento de postos de trabalho

Muitas pessoas aqui, do Brasil, achavam uma maravilha quando se anunciava, nos Estados Unidos, em alguns ...

Sonzeira não!

“Parabéns para os representantes do povo de Itapema pela iniciativa de proibir a utilização de caixas ...

Advogado João Martins responde ao JC

  “Permita-me esclarecer alguns pontos levantados por você, colunista JC, na coluna de ontem [quarta ...

Falta iluminação

"Venho novamente pedir auxílio, pois moro na rua Isaac José de Souza e a que dá acesso a ela, Valdevino ...

Serviço pendente

  O serviço de fornecimento de água depende da instalação de alguns itens para que o trabalho seja ...

Sugestão

Tenho lido e visto, na TV, que querem fazer um túnel na altura da balsa na barra do rio. Oras, naquela ...

Ricardo Collyer fala sobre o 7 de setembro

Carta resposta à matéria publicada no DIARINHO do dia 09/09/2021 sobre as manifestações do dia 07 de ...

Patrick Dauer rebate JC

  "Primeiramente, quero dizer que sou um leitor assíduo da coluna do JC, e o admiro como jornalista ...

Ver todos as cartas

Obituário


Registro de mortes ocorridas no dia 19 de outubro, comunicadas por Santa Catarina Assistência Familiar ...

Registro de mortes ocorrida no dia 18 de outubro, comunicadas por Santa Catarina Assistência Familiar ...

Registro de mortes ocorridas nos dias 16 e 17 de outubro, comunicadas por Santa Catarina Assistência ...

Registro de mortes ocorrida no dia 15 de outubro, comunicadas por Santa Catarina Assistência Familiar ...

Registro de mortes ocorrida no dia 14 de outubro, comunicadas por Santa Catarina Assistência Familiar ...

Registro de mortes ocorrida no dia 13 de outubro, comunicadas por Santa Catarina Assistência Familiar ...

Registro de mortes ocorridas nos dias 11 e 12 de outubro, comunicadas por Santa Catarina Assistência ...

9/10/2021 DELMA MARIA WERNER EZEQUIEL FERNANDES IRACY BRITO DA SILVA JOAO MARIA QUEIROZ MARCIO ...

Registro de mortes, ocorridas no dia 8 de outubro, comunicadas por Santa Catarina Assistência Familiar ...

Registro de mortes ocorrida no dia 6 de outubro, comunicadas por Santa Catarina Assistência Familiar ...

Ver todos os obituários