Colunas


Coluna Fato&Comentário

Por Coluna Fato&Comentário -

Frederico Latta*, pintor alemão em Itajaí


Fritz von Latta, que no Brasil transpôs seu nome para Frederico Latta, nascera na Alemanha a 8 de  abril de 1896, filho de Luiz Latta e Elisa Wartis. Na Alemanha, fez estudos e cursou a Escola de Belas Artes de Berlim.

 

Bora virar assinante para ler essa e todas as notícias do portal DIARINHO? Usuários cadastrados têm direito a 10 notícias grátis.


Esqueci minha senha




Se você ainda não é cadastrado, faça seu cadastro agora!


 







 





Logo após, imigrou para o Brasil, indo fixar-se inicialmente na freguesia de São Bonifácio, região de colonização alemã, no sul de Santa Catarina. No entanto, não se ocupou com trabalhos agrícolas. Foi ser escrivão de paz da freguesia.

Em São Bonifácio, a 14 de janeiro de 1922, contraiu matrimônio com a catarinense Rosalina Kuerten, filha de Gustavo Kuerten e Laura Probst. Do casamento não houve filhos. Mais tarde, o casal adotou como filho a Elmar Seidelmann, o qual se casaria em Blumenau com Renate Clara Breitkopf.

Por não ver perspectivas profissionais animadoras no cargo de escrivão de paz da pequenina freguesia de São Bonifácio ou porque pretendesse exercitar a vocação artística e profissional de pintor, Frederico Latta deixou São Bonifácio, transferindo-se para o Vale do Itajaí.

Na década de 1930, Latta se encontrava radicado na cidade de Itajaí, residindo na Praça da República, hoje, Irineu Bornhausen, onde logo adquiriu fama de pintor exímio e decorador de interiores. Montou uma equipe de trabalho que funcionava como uma escola de pintores. Dali,  saíram pintores que se tornaram famosos na cidade: José Rodrigues, Aurélio Lapa, Ary Agacci.

Latta, na verdade, também pintava paredes, porque na época não poderia sobreviver apenas da pintura artística. No que mais se comprazia era na pintura de interiores de igrejas. Aliás, os temas sacros muito o agradavam, aparecendo em inúmeros trabalhos. Além de temas sacros, Latta também pintou paisagens e retratos e fez restaurações.

Na pintura, tinha preferência por óleos sobre telas e pelas cores escuras. Era um pintor acadêmico, mas determinadas linhas de seu desenho e a escolha de suas cores deixam entrever certas influências expressionistas e cubistas. As obras de Latta podem ser apreciadas no interior das igrejas de Atalanta e Urubici, em Santa Catarina, e suas telas se encontram em mãos de particulares; a maior parte delas com as famílias Breitkopf e Seidelmann, em Blumenau.

Em Itajaí se conhece apenas a bonita tela a óleo, denominada “Batismo de Jesus”, datada de 1932 e exposta no batistério da Igreja da Imaculada Conceição, antiga Matriz da cidade. Talvez tenha sido uma encomenda do Vigário Monsenhor Giesberts, também alemão.

Declarada a II Guerra Mundial e com as restrições apostas à residência de alemães nas cidades litorâneas, Frederico Latta se transferiu para Atalanta, no Alto Vale do Itajaí, lá fixando residência. Após o falecimento de sua esposa, ele mudou-se para Blumenau, onde já residia o filho.

Foi em Blumenau, aos 82 anos, no dia 29 de novembro de 1979, que veio a falecer, sempre dedicado à sua pintura.

*No Arquivo Público de Itajaí, há um dossiê sobre Frederico Latta.


Comentários:

Deixe um comentário:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.

Leia mais

Coluna Fato&Comentário

“Lito floriu a cidade”

Coluna Fato&Comentário

Jardim de Burle Marx: oportunidade perdida por Itajaí

Coluna Fato&Comentário

Jayme Fernandes Vieira - intelectual ilustre

Coluna Fato&Comentário

Jucílio de Castro Fernandes: itajaiense exemplar

Coluna Fato&Comentário

“Verde que te quero verde”

Coluna Fato&Comentário

Avenida Coronel Marcos Konder: sua evolução

Coluna Fato&Comentário

Itajaí: Município “sem razão e utilidade pública”

Coluna Fato&Comentário

Santíssimo sacramento de Itajaí

Coluna Fato&Comentário

CULTOS AFRICANOS EM ITAJAÍ: RESISTIR E SOBREVIVER

Coluna Fato&Comentário

Colégio São José - 80 anos: “irmãs alemãs” X “irmãs colonas”

Coluna Fato&Comentário

Música ao longe

Coluna Fato&Comentário

Semana santa e a cultura do povo

Coluna Fato&Comentário

Rua Pedro Ferreira ou do Commercio - certas histórias

Coluna Fato&Comentário

Itajaí (também) precisava da BR-59

Coluna Fato&Comentário

Praia Brava e o Centenário

Coluna Fato&Comentário

Vacinas e resistências: casos contados por aqui

Coluna Fato&Comentário

Mais um patrimônio histórico a perigo

Coluna Fato&Comentário

Eventos históricos da 3ª década do século xxi

Coluna Fato&Comentário

Natal, no ciclo das festas populares

Coluna Fato&Comentário

Um neo-sacerdote e os padres itajaienses



Blogs

A bordo do esporte

Atual campeã do L'Étape Brasil by Tour de France espera marcação forte no domingo

Blog do JC

OAB com a sua Cara

Blog do Ton

Chefs Bruno Faro e Willian Vieira comandam noite gastronômica nesta quinta-feira no Quatro7, em Balneário Camboriú

Blog da Ale Francoise

Remédio natural para picada

Blog Doutor Multas

Financiamento e refinanciamento de veículo: afinal, é a mesma coisa?

Blog Clique Diário

O Auditório de Tenerife

Blog da Jackie

CasaCor Santa Catarina

Bastidores

Um olhar sobre o teatro de escola



Entrevistão

Ana Tereza Canziani Pereira Boschi

"O Implanon é tecnologia de ponta, e a gente vai oferecê-lo para as mulheres de Itajaí”

Ana Paula Bastos Cardoso

“O luto tem que ser encarado como uma forma natural da vida”

Fábio da Veiga

"Todos os players do mercado são favoráveis a esse modelo de gestão Landlord”

Francisco Graciola

"O patrimônio é o cliente”

TV DIARINHO

Confira os destaques desta quarta-feira




Especiais

AMPLIAÇÃO

Portonave projeta investimentos de mais R$ 500 milhões

NAVEGANTES

Atividade portuária consolida a economia

SANTA CATARINA

Navegantes tem o segundo maior aeroporto do estado

NAVEGANTES

Cluster da construção naval é aqui

MERCADO

Navship volta a contratar



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯