Matérias | Geral


DENÚNCIA

Jari ignora mérito de recursos de multas

Morador multado por transitar de carro na Hercílio Luz alega que junta negou o recurso sem observar argumentos da defesa

Redação DIARINHO [editores@diarinho.com.br]

Enquanto recorre, Hussam pagou quase R$ 1 mil de multa pra conseguir fazer o licenciamento do seu veículo (Foto: João Batista)

O marítimo Hussam El Agha, de Itajaí, trava uma batalha contra a junta Administrativa de Recursos de Infrações (Jari) por uma multa de trânsito que ele considera injusta. O motorista questiona o trabalho dos membros da junta por supostamente não analisarem devidamente os recursos, indeferindo a maioria dos pedidos de forma arbitrária, mesmo que a defesa tenha fundamento.


A autuação ocorreu ainda em 2019. Na ocasião, no dia 3 de janeiro, ele foi notificado pela polícia Militar por transitar indevidamente com veículo na calçada da rua Hercílio Luz, no centro da cidade. No horário em questão, às 22h51, o motorista destaca que não há restrição de trânsito de veículos no local.

Continua depois da publicidade



A regra geral pra circulação de carros no calçadão permite o trânsito das 20h às 6h. Na época de natal, devido ao horário estendido do comércio, o acesso de veículos vale a partir das 22h. Durante o dia, há horário especial de carga e descarga e moradores com credenciais podem transitar fora dos horários restritos.

Hussam lembra que a passagem livre depois das 22h valia na época e que isso, por si só, já deveria invalidar a notificação. O marítimo fez a defesa prévia na Codetran no mês seguinte, mas não teve sucesso. Em maio de 2020, ele entrou com recurso na Jari, que terminou indeferido em agosto de 2021, quase um ano depois.

Informativo no site da prefeitura que mostra os horários permitidos na Hercílio Luz foi juntado no recurso. “Note a morosidade da Codetran e da Jari. Ambos julgaram de forma errada, pois não observaram os argumentos de defesa dos meus advogados, vindo a indeferir, por nítido desleixo com aquilo que são pagos para fazer: a análise da defesa”, critica.

Em novembro, Hussam teve que pagar a multa de quase R$ 1 mil pra conseguir fazer o licenciamento do veículo. Porém, ele contesta a decisão da Jari junto ao conselho Estadual de Trânsito (Cetran), que julga os recursos em segunda instância. O motorista não descarta entrar na justiça pra provar que a multa é indevida.

Continua depois da publicidade



Ele conta que, em contato com uma servidora, foi informado que a Jari toma as decisões baseadas na autuação do agente, que tem fé pública das informações lavradas na notificação. Para Hussam, o princípio inviabiliza a defesa.

“A Jari existe porque subentende-se que há um corpo técnico pra análise. Mas se o que vale é o que o agente escreveu, não há porque se defender. O negócio é aceitar a multa e acabou”, lamenta, ainda criticando a falta de transparência das sessões de julgamento da Jari.

Volta do Cetran

A Jari representa a primeira instância pra contestação de multas. O recurso pode ser aberto mesmo que não tenha ocorrido defesa prévia junto à autoridade de trânsito responsável pela autuação. Em Itajaí, há duas Jaris, cada junta formada por cinco membros, que são nomeados com mandatos de dois anos, sendo permitido sucessivas reconduções. 

O secretário do sindicato dos Motorista de Itajaí, Carlos Cesar Pereira, é membro da 1ª Jari, como representante de entidade ligada ao trânsito. Ele informou que o processo original de Hussam foi pra recurso em Florianópolis, sendo preciso aguardar o retorno pra verificar os motivos da decisão que levaram ao indeferimento do pedido.

“Em recurso para o Cetran, eles só aceitam o processo original, julgam e depois devolvem para o Codetran”, explica. O caso do marítimo foi julgado pela 2ª junta, presidida por Gaspar Laus, representante da procuradoria-geral do município.

Segundo Cesar, há vários motivos que podem ter baseado a decisão da Jari, como falta de documentos, prazos e apresentação por parte legítima. “Mas te garanto que a Jari analisa o fato e julga o mérito da defesa. A dele [Hussam], tem que aguardar voltar pra ver certinho o que houve realmente”, frisa.

O funcionamento das Jaris é regulamentando por regimento interno, homologado por decreto municipal. Cada junta se reúne duas vezes por semana, podendo ser convocadas sessões extraordinárias, com limite de três por mês. O serviço é considerado de relevância pública e os membros que não são servidores públicos tem direito a uma gratificação por reunião.




Comentários:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.


Envie seu recado

Através deste formuário, você pode entrar em contato com a redação do DIARINHO.

×





107.21.85.250

Últimas notícias

Tráfico internacional

Barco catarinense é preso com meia tonelada de cocaína nas Ilhas Canárias

Penha

Funcionários públicos têm reposição salarial de até 33%

Parque Raimundo Malta

Animais resgatados e recuperados serão devolvidos à natureza

Avenida Panorâmica

Ladrão é flagrado furtando fiação elétrica em Balneário

Camboriú

Moradores cercam ladrões de carro até a chegada da PM

Itajaí

Adolescente de 16 anos morre vítima de covid

PRIVATIZAÇÃO DO PORTO

Prefeitura quer audiência com Bolsonaro

BALNEÁRIO

Esgoto de condomínio vaza na praia do Estaleirinho

Ação trabalhista

SBT é condenado a pagar R$ 4 milhões à jornalista Rachel Sheherazade

CORRE PRO MATO

Banheiros fechados em terminal causam indignação em Itajaí



Colunistas

Coluna Esplanada

Sigilo

Coluna Tema Livre

Nem guru e nem político de estimação

JotaCê

De arrasto

Canal 1

A dramaturgia ainda tem muitos cenários para explorar em todo Brasil

Artigos

Poeta mensageiro

Coluna do Janio

Boa estreia

Coluna Exitus na Política

“Espelho, espelho meu”

Coluna Adjori SC

Veto ao reescalonamento dos débitos de MEIs e empresas do Simples Nacional será derrubado

Coluna do Ton

Na Pose

Instituto Ion | Informando e Inovando

Impacto dos hábitos nas finanças

Na Rede

Na Rede

Via Streaming

Normalidade ampliada

Coluna Fato&Comentário

Tespis Cia. de Teatro: memória e história

Espaço InovAmfri

Inovação disruptiva governamental é possível

Clique diário

Pôr do sol

Jackie Rosa

Bailon

Coluna esquinas

Grasna, pato, grasna

Coluna do Frei Betto

Feliz Ano Novo



TV DIARINHO


Confira os destaques desta terça-feira



Podcast

Minuto DIARINHO 25/01/2022

Publicado 25/01/2022 21:33



Especiais

Tradição

DIARINHO: 43 anos na liderança do jornalismo regional

PREVISÕES 2022

Oráculos apostam em um ano de desafios e solidariedade

TUDO JUNTO

Itajaí Shopping une compras, serviços e lazer

COLETA SELETIVA

Navegantes, Penha e Piçarras ainda não dispõem de coleta seletiva

BALNEÁRIO CAMBORIÚ

Crescimento da coleta seletiva



Blogs

A bordo do esporte

Barco Phytoervas 4Z divulga calendário de regatas para 2022

Blog do JC

Deputado diz que governo Federal dá soco no queixo de catarinenses

Blog do Ton

Evie Sushi chega a Balneário Camboriú com inspiração nos grandes centros urbanos

Blog da Ale Francoise

Biorressonância na prevenção de sua saúde

Blog Doutor Multas

Como falar de improviso?

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado

Blog da Jackie

BALNEÁRIO FASHIOW foi SHOW

Blog Clique Diário

Ilha das Cabras - Balneário Camboriú



Entrevistão

Gabriel Castanheira

"Se tiver que prender mil vezes o cara, vamos prender mil vezes. É isso que eu converso com a tropa. Tem casos de pessoas que nós prendemos mais de 40 vezes [...] Cometeu um crime? Encaminha para a delegacia.”

Rodrigo Fernandes

"Os jovens, com certeza, têm a capacidade e o potencial de mudar o resultado de uma eleição”

Érica Becker e Pedro Junger

“Já tem dados que comprovam que o ser humano está ingerindo o próprio plástico que insere nos oceanos”, Érika Becker

Ciro Gomes

"O brasileiro tá pagando agora o preço do derivado de petróleo, da gasolina, em dólar”



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯