Matérias | Geral


Litoral

Quinze animais aparecem nas praias

Equipe de monitoramento diz que vento e ondas trouxeram carcaças

Franciele Marcon [fran@diarinho.com.br]

Em Penha apareceram duas tartarugas mortas, uma Oliva e outra Cabeçuda (Foto: Divulgação Unidade da Univali de Penha)



Banhistas, que aproveitaram o sol e calor do feriadão, tiveram que dividir espaço na areia com as carcaças de animais mortos. Foram registrados cerca de 15 encalhes, segundo o projeto de Monitoramento das Praias da Univali, e somente quatro animais foram recolhidos com vida. Os animais apareceram em Penha, Balneário Camboriú, Bombinhas, Itapema, Navegantes, Balneário Piçarras e Barra Velha.


Na manhã de segunda-feira, duas tartarugas mortas apareceram em Penha. Uma era da espécie Oliva (Lepidochelys olivácea), de 89 centímetros de comprimento total, e a outra, uma Cabeçuda (Caretta caretta), com 104 centímetros. Ambas foram enterradas na orla.

Continua depois da publicidade



No sábado, foram encontrados um biguá vivo na praia de Navegantes e uma gaivota morta, em Bombinhas. Também foram encontrados com vida, no domingo, uma tartaruga-verde no Canto Grande, em Bombinhas, e uma gaivota e uma grazina de barriga branca, ambas em Armação.

Também no domingo foram encontrados mortos uma tartaruga-oliva e uma tartaruga-verde, na praia Balneário Camboriú. Um bobo-pequeno, na praia de Piçarras, e três tartarugas-verde, uma toninha e um bobo-pequeno, em Barra Velha.

Segundo o projeto, a combinação de ondulações e ventos favoreceu o encalhe de carcaças de animais marinhos no feriadão. Só no sábado e domingo, a equipe registrou 13 animais sem vida. Com as duas mortes de Penha nessa segunda, o número sobe para 15.

Na praia Central de Balneário e na praia do Plaza, em Itapema, a equipe de monitoramento registrou o encalhe de dois golfinhos.

Continua depois da publicidade



De acordo com a oceanógrafa Bruna Henklein Pissaia, gerente operacional da Univali de Penha, as ondas de Leste e os ventos de quadrante Norte e Nordeste favorecem o encalhe de carcaças de animais marinhos. “Geralmente são animais em estágio avançado de decomposição, que estavam derivando e encalham influenciados pelas condições oceanográficas”, explica.




Comentários:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.


Envie seu recado

Através deste formuário, você pode entrar em contato com a redação do DIARINHO.

×





3.89.204.127

TV DIARINHO


Entrevistão Rodrigo Fernandes Juiz do Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina





Especiais

Meio Ambiente

Juarez Müller, o homem das árvores e flores, recebe homenagem na Câmara de Vereadores

Escotismo

Grupo Lauro Müller volta renovado após quase dois anos de incertezas

REGIÃO

Confira a lista das escolas particulares

SESC/SENAI

Escola S alia grade curricular básica ao ensino tecnológico e bilíngue

Colégio Energia

Líder em aprovação, Energia acumula 25 anos de credibilidade, qualidade e inovação



Blogs

Blog da Ale Francoise

Intestino Permeável, você tem?

Blog do JC

Instagram de controlador da prefa de Penha é hackeado

A bordo do esporte

Contagem regressiva de sete meses para a Globe 40

Blog Doutor Multas

Recurso suspensão CNH: como fazer?

Blog do Ton

Líbere Fashion Show

Blog da Jackie

BALNEÁRIO FASHIOW foi SHOW

Blog Clique Diário

Ilha das Cabras - Balneário Camboriú

Bastidores

Um olhar sobre o teatro de escola



Entrevistão

Rodrigo Fernandes

"Os jovens, com certeza, têm a capacidade e o potencial de mudar o resultado de uma eleição”

Érica Becker e Pedro Junger

“Já tem dados que comprovam que o ser humano está ingerindo o próprio plástico que insere nos oceanos”, Érika Becker

Ciro Gomes

"O brasileiro tá pagando agora o preço do derivado de petróleo, da gasolina, em dólar”

Guido Petinelli

O melhor empreendimento é aquele que enriquece o bairro.”



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯