Matérias | Política


Bastidores

Depoimento faz acusações contra vereadora nas eleições de 2016

Relato de empresário diz que assessor da então candidata a prefeita pediu “ajuda financeira” pra campanha em troca de favores

Redação DIARINHO [editores@diarinho.com.br]

Assessor de Anna teria pedido ajuda financeira para empresário da construção civil (foto: ilustrativa/ franciele marcon)

Um documento vazado nessa semana traz o depoimento do empresário Gelson Laffitte, da G. Laffitte Incorporações e Empreendimentos Imobiliários, dado à polícia Federal em fevereiro de 2020. O relato traz acusações de que um assessor da então candidata à prefeitura de Itajaí nas eleições de 2016, Anna Carolina Martins (PSDB), teria “pedido ajuda financeira para a campanha”. Em troca, a promessa seria de agilizar os procedimentos burocráticos da empresa na prefeitura, caso a candidata vencesse as eleições.


O empresário foi um dos presos na operação Terra Prometida, entre 2015 e 2017, que investigou crimes de corrupção entre agentes públicos e empresas em Camboriú. No processo, ele fez acordo de delação premiada com o Gaeco de Itajaí, colaborando com as investigações. A empresa também foi alvo da operação Dupla Face, de 2015, que investigou o pagamento de propina a agentes públicos pra liberação de loteamentos em Itajaí.

Continua depois da publicidade



O depoimento do empresário foi feito em inquérito policial, já arquivado, que apurou crimes de corrupção e lavagem de dinheiro apontados pela promotoria eleitoral contra sete investigados. Na declaração, o empresário afirma que, semanas antes das eleições de 2016, foi procurado no escritório da empresa por um assessor da então candidata Anna Carolina.

O tal assessor teria pedido “ajuda financeira para a campanha”, em troca de favores futuros na prefeitura, numa eventual vitória da candidata. O empresário relatou no depoimento não se lembrar do nome do assessor. Segundo o depoimento, o empresário decidiu fazer a doação de dois terrenos do loteamento Jardim Vitória, em Ilhota, no valor de R$ 25 mil cada.

Os lotes ficariam em nome de duas pessoas, que seriam um fornecedor da campanha e o pai de Anna, o advogado João José Martins. A doação de lotes teria sido considerada opção “menos onerosa” para a empresa do que fazer pagamento em dinheiro à campanha.

Campanha do Volnei

Continua depois da publicidade



No depoimento, o empresário também afirma ter feito pagamento de propina de R$ 100 mil para o PMDB de Itajaí, semanas após a eleição de Volnei Morastoni no pleito. Gelson afirmou que procurou na ocasião uma liderança do partido, pedindo ajuda pra que os processos da empresa fossem destravados na prefeitura.

A doação fraudulenta teria sido feita em parcelas, através de depósitos, para uma empreiteira pagar “restos de campanha” do partido do prefeito eleito. Mesmo com o pagamento, o empresário disse que a empresa não teve nenhum processo facilitado junto à prefeitura.

Esse caso foi remetido ao tribunal Regional Eleitoral (TRE), devido ao foro privilegiado, e ainda estaria em andamento na justiça. Presidente do MDB de Itajaí, Wilson Francisco Rebelo Junior disse que não vai se manifestar sobre o assunto. “Esse assunto foi lá em 2016. Foi prestado esclarecimento na época”, comentou, ressaltando que não teve mais informações.

Vereadora alega represália à CPI

Para vereadora, divulgação do caso seria em represália ao avanço da CPI das Máscaras na câmara (foto: divulgação)

A vereadora Anna Carolina informou que também foi ouvida na investigação e que a representação contra ela acabou sendo arquivada em setembro deste ano pela justiça.

Ela rebateu as acusações, destacando que desconhece quem seria o citado assessor que teria procurado o empresário pedindo dinheiro em seu nome.

Para ela, a divulgação do depoimento com as acusações seria em represália ao avanço da comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga superfaturamento na compra de máscaras pela prefeitura de Itajaí durante a pandemia. “Essas coisas vem agora por causa da CPI, mas estou tranquila”, afirma.

Anna é membro da comissão e autora do pedido de abertura da CPI, em andamento desde setembro. Na segunda-feira, três servidoras da prefeitura prestaram depoimento à comissão como testemunhas. Duas delas foram transferidas de funções na secretaria de governo para outras secretarias durante a pandemia. Elas falaram sobre o funcionamento de rotinas internas em licitações.

Para a vereadora, os depoimentos e documentos já levantados pela CPI comprovam que o município pagou mais caro pelas máscaras mesmo tendo orçamentos mais baratos em várias compras. A investigação mira 10 contratos feitos durante a pandemia, somando cerca de 20 milhões de máscaras. 

O principal é uma compra de 10 milhões de máscaras por R$ 12 milhões. Nesse contrato, a CPI aponta que a prefeitura tinha orçamento de R$ 0,60 a unidade, mas foram compradas as máscaras do orçamento mais caro, de R$ 1,10 por item. Além disso, quando o contrato foi firmado, em abril desse ano, o município ainda tinha dois milhões de máscaras em estoque.

A vereadora afirma que a empresa que vendeu as máscaras nesse contrato seria parente de um servidor da prefeitura e que teria ligação com outras empresas que participaram do mesmo processo de dispensa de licitação. Segundo ela, as empresas teriam agido em conluio e contado com favorecimento da secretaria de governo.

CPI consegue quebra de sigilo bancário de empresa

A justiça autorizou a quebra de sigilo bancário de empresa Conect Importação e Exportação, responsável pela venda com dispensa de licitação de 10 milhões de máscaras à prefeitura de Itajaí. A solicitação foi feita pelos vereadores Anna Carolina Martins (PSDB) e Osmar Teixeira (SD), membros da CPI.

“Além de ser uma quantidade escandalosa de máscaras há indícios de superfaturamento, por isso a quebra do sigilo bancário é tão importante para as investigações seguirem”, ressaltou a vereadora Anna Carolina. Nessa semana, ela também pediu a quebra de sigilo telefônico dos sócios da empresa.

Ela destacou que outros órgãos públicos pagaram a metade do valor pelo mesmo produto comprado pela prefeitura. Ainda ressalta que a prefeitura tinha orçamentos menores, obtidos por meio de pregão aberto apenas uma semana após o início da compra.

Depoimentos de outros servidores estão marcados pra reunião na CPI na sexta-feira. A comissão ainda avalia chamar outras pessoas ligadas à secretaria de Governo antes de entrar na fase final. O relatório da comissão tem prazo para o dia 26 de novembro, mas pode ser prorrogado novamente.




Comentários:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.


Envie seu recado

Através deste formuário, você pode entrar em contato com a redação do DIARINHO.

×





54.158.251.104

Últimas notícias

BALNEÁRIO

Motociclista morre em mais um acidente na BR 101

CAMPEÃ NOS JOGUINHOS

Camboriú conquista título inédito no handebol masculino

ITAJAÍ

Jovem é assassinado a facadas em frente de conveniência

BALNEÁRIO

Tradicional festa de Iemanjá é cancelada

TRISTEZA

Criador do “carro Balada” perde tudo em incêndio

Decisão judicial

Beach clubs de Jurerê Internacional vão ter que demolir estruturas construídas após 2005

Camboriú

Moradores reclamam do abandono de rua em loteamento

Acidente grave

Jogador do Flamengo atropela ciclista que morre a caminho do hospital

Balneário 

Prefeitura vendeu área de praça recém-urbanizada

ITAJAÍ

Noivos usam Chevette 78 conversível em festa de casamento



Colunistas

JotaCê

Novo tempo

Jackie Rosa

Um café daqueles...

Via Streaming

“Raised by Wolves”

Na Rede

Na Rede

Instituto Ion | Informando e Inovando

O PIX veio para ficar ou não?

Canal 1

SBT tem uma cartilha de mudanças para os próximos tempos

Coluna Adjori SC

Abaixo-assinado cobra mais atenção para as rodovias federais catarinenses

Coluna Esplanada

O “terrível” Grandioso

Espaço InovAmfri

Dados para salvar o meio ambiente

Clique diário

Paisagem

Coluna esquinas

Ferida aberta

Coluna do Janio

Boas notícias no Marinheiro

Coluna Tema Livre

Corrida presidencial

Coluna Exitus na Política

Sonhos em Tarimbas

Coluna do Ton

Inauguração

Coluna Fato&Comentário

“Anuário de Itajaí”- edição especial

Coluna do Frei Betto

Império do medo

Artigos

Um tributo à verdade



TV DIARINHO


Entrevistão Rodrigo Fernandes Juiz do Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina





Especiais

Meio Ambiente

Juarez Müller, o homem das árvores e flores, recebe homenagem na Câmara de Vereadores

Escotismo

Grupo Lauro Müller volta renovado após quase dois anos de incertezas

REGIÃO

Confira a lista das escolas particulares

SESC/SENAI

Escola S alia grade curricular básica ao ensino tecnológico e bilíngue

Colégio Energia

Líder em aprovação, Energia acumula 25 anos de credibilidade, qualidade e inovação



Blogs

Blog do JC

Instagram de controlador da prefa de Penha é hackeado

A bordo do esporte

Contagem regressiva de sete meses para a Globe 40

Blog Doutor Multas

Recurso suspensão CNH: como fazer?

Blog do Ton

Líbere Fashion Show

Blog da Ale Francoise

Você conhece a seiva do dragão?

Blog da Jackie

BALNEÁRIO FASHIOW foi SHOW

Blog Clique Diário

Ilha das Cabras - Balneário Camboriú

Bastidores

Um olhar sobre o teatro de escola



Entrevistão

Rodrigo Fernandes

"Os jovens, com certeza, têm a capacidade e o potencial de mudar o resultado de uma eleição”

Érica Becker e Pedro Junger

“Já tem dados que comprovam que o ser humano está ingerindo o próprio plástico que insere nos oceanos”, Érika Becker

Ciro Gomes

"O brasileiro tá pagando agora o preço do derivado de petróleo, da gasolina, em dólar”

Guido Petinelli

O melhor empreendimento é aquele que enriquece o bairro.”



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯