Matérias | Geral


Praia Brava

Abandono das obras de passeios revolta moradores e comerciantes

Síndico de condomínio conta que vizinhança não tem informação sobre andamento da reurbanização

Redação DIARINHO [editores@diarinho.com.br]

Lojistas reclamam que calçadas foram destruídas; trabalho travou e passeios ficaram largados (foto: João Batista e Arquivo)

O projeto de reurbanização da avenida Delfim de Pádua Peixoto, na praia Brava, em Itajaí, está provocando polêmica pelas obras nas calçadas e o alargamento da via que deixou os postes de energia no meio das vagas de estacionamento. A falta de planejamento e organização nos serviços e os atrasos também geram reclamações de lojistas, empresários e moradores do bairro.


Um dos sócios da loja Santa Costa, Christofer Stoner, denuncia que as obras para as novas calçadas pararam há pelo menos três semanas. Ele conta que o passeio que construiu na frente da loja, que era pintado, com guias para cegos e bem mantido, foi destruído. O empresário mesmo teve que improvisar o acesso à loja com a colocação de brita enquanto a obra  da prefeitura segue parada.

Continua depois da publicidade



Em outros trechos da rua, onde também havia calçadas com guias de acessibilidade, o passeio também sumiu. Com a paralisação dos trabalhos, os passeios ficaram largados, com restos de materiais, buracos e obstáculos, fazendo com que pedestres e ciclistas tenham que andar no meio da rua. A avenida também está recebendo a troca de pavimentação, com colocação de pavers, mas o trabalho não avança.

Christofer relata que os operários sumiram e que o local já está há 70 dias em obras. A colocação dos pavers na rua demorou quase três meses pra chegar ao trecho da loja, no início da avenida, perto da sociedade Guarani. “Quanta paciência ainda é preciso ter? A calçada está assim há três semanas, no mínimo”, questiona.

Ele ainda observa que a construção do passeio está vindo desde a esquina do clube Habbitat, na beira-mar, o que não era previsto no projeto original. Outro problema é que a avenida foi alargada e ganhou nova pavimentação, mas os postes foram deixados no meio das vagas de estacionamento.

Condomínios e comércios prejudicados

Continua depois da publicidade



O comerciante Johnny Clai, do restaurante Melanina, destaca que mulheres, crianças e idosos têm dificuldade de caminhar pelo trecho, que tem movimento intenso de carros e turistas. Nas últimas chuvas, os passeios ficaram enlameados. “São três meses de poeira, barro e lama. O projeto não tem coordenação nenhuma e a prefeitura não tem interesse em coordenar as mudanças”, afirma.

Para Felipe Becker, que é síndico de dois condomínios perto da loja Santa Costa, o motivo do abandono das calçadas teria sido uma adequação no projeto, conforme justificativa que ouviu. Detalhes da mudança, cronograma das obras e prazo de retomada não foram informados. “Os condôminos pedem uma posição e a gente tenta ir atrás de informações, mas não sabemos das mudanças e não temos previsão de conclusão”, lamenta.

Calçadas sem guias para cegos

A secretaria de Urbanismo, responsável pelo contrato da obra na Brava, diz que a execução do projeto na avenida está em andamento e não teve interrupção. Segundo o órgão, os trabalhos estão “concentrados” na pavimentação em paver. “As calçadas foram retiradas, mas nos próximos dias serão iniciadas as obras nos passeios”, informa.

Conforme a secretaria, as calçadas no local seguirão as novas normas de acessibilidade com desenho universal, como nas obras de reurbanização em ruas do centro de Itajaí. O novo modelo prevê piso com textura e excluiu as guias tácteis para cegos. O piso táctil é só previsto em pontos de risco, como cruzamentos, pra orientar os deficientes em travessias e desníveis. A novidade já foi criticada no centro de Itajaí  pela  associação de deficientes visuais, que alega que não foi consultada sobre as mudanças.

A secretaria afirma  que não há nenhum problema com a empresa que toca a obra, apenas que as calçadas tiveram a alteração no projeto pra atender a normas mais modernas de acessibilidade. Sobre a questão dos postes, a realocação foi solicitada à Celesc e o serviço é aguardado pelo município.

As obras na Delfim de Pádua Peixoto começaram em fevereiro. A drenagem e pavimentação já chegaram até a rua Luci Canziani e seguirão pelos próximos cruzamentos até a conclusão. O projeto de reurbanização envolve toda a extensão da avenida, de 1,7 quilômetro, além de trechos das avenidas José Medeiros Vieira (Beira-mar) e Carlos Drummond de Andrade. A obra é de R$ 4 milhões, com prazo de um ano pra terminar.



Comentários:

juan carlos dougan

01/07/2021 08:56

la rua machado de assis de playa do amores , falta la reparacion del pavimento.

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.


Envie seu recado

Através deste formuário, você pode entrar em contato com a redação do DIARINHO.

×





3.235.56.11

TV DIARINHO


Confira os destaques desta quarta-feira





Especiais

Referência

Balneário Shopping é porta de entrada de grandes marcas

Boas compras

Diversidade e qualidade caracterizam o comércio de Balneário Camboriú

Uma nova BC

Investimentos públicos pesados para a retomada da economia

Cartão postal de Balneário Camboriú

Roda-gigante mudou a paisagem para sempre

Parque Unipraias

Tedesco é pioneiro no turismo de BC



Blogs

A bordo do esporte

Dia decisivo para RS:X em Tóquio; Scheidt volta a competir

Blog do JC

Bolo sem açúcar

Blog Doutor Multas

Cassação do direito de dirigir: dúvidas frequentes

Blog da Ale Francoise

Dê olho na sua saúde!

Blog Clique Diário

Retornando...

Blog da Jackie

CasaCor Santa Catarina

Blog do Ton

One of a Kind: coleção inédita será apresentada pela joalheira Cristina Pessoa durante evento na Praia Brava

Bastidores

Um olhar sobre o teatro de escola



Entrevistão

Jorginho Mello

“Eu tenho o compromisso do presidente: se eu for disputar a eleição para governador, tenho o apoio dele”

André Gobbo

"Eu tenho absoluta certeza que estamos formando profissionais para o presente e para o futuro”

Vinicius Lummertz

"A grande aliança é para a retomada com saúde. São Paulo fará vacinas para o Brasil e América Latina ”

Élcio Kuhnen

“O maior ensinamento que a covid vai deixar: a ciência está muito à frente da sua opinião”



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯