Matérias | Geral


ELEFANTE BRANCO

Obra do complexo da polícia Civil está abandonada

Empresa que venceu licitação abandou a construção na fase final; governo do Estado até hoje não abriu nova licitação

Franciele Marcon [fran@diarinho.com.br]

Prédio está abandonado há quase três anos (Foto: Franciele Marcon)


A obra do tão sonhado complexo da polícia Civil de Itajaí está abandonada e sem qualquer previsão de entrega. O complexo deveria ter sido concluído em outubro de 2018, mas a empresa que venceu a licitação abandonou a construção na fase final. Vândalos têm invadido a construção e roubado materiais e depenado a estrutura.


O complexo foi projetado para ocupar o terreno da antiga 1ª delegacia de polícia Civil de Itajaí, na avenida Joca Brandão, no centro, que teve o prédio demolido em outubro de 2016. O plano era que o terreno desse lugar a um prédio com quatro pavimentos para o funcionamento da polícia Civil, com a 1ª e 2ª delegacias, a delegacia de Trânsito, divisão de Investigações Criminais e o Instituto Geral de Perícias.

Continua depois da publicidade



A empresa Nakazima Engenharia venceu a licitaçã opor R$ 2,6 milhões para construir o prédio, com verba vinda do Pacto pela Segurança, que envolve governo federal e estadual. A previsão de conclusão do complexo era para o final de 2018. Em novembro de 2018, a empresa abandonou a construção, deixando o prédio inacabado. Passados quase três anos da a paralisação das obras, não há qualquer movimentação pra conclusão do prédio.

Pra piorar a situação, vândalos têm invadido o terreno e furtado os materiais. Os ladrões já levaram alumínio, cabeamento elétrico e fios de ar-condicionado.

O delegado Regional de Itajaí, Márcio Colatto, confirmou que já houve até prisões de vândalos no local. Houve flagrante de furtos  na semana passada.

A secretaria de Segurança Pública de Santa Catarina justificou que após a rescisão do contrato com a empresa vencedora da licitação, a SSP solicitou apoio técnico à secretaria de Estado da Infraestrutura e Mobilidade para fazer o levantamento de orçamento para a conclusão da obra.  O processo não foi finalizado. Após a atualização, a secretaria iniciará uma nova licitação para a conclusão do prédio. 

Continua depois da publicidade



Centralizar serviços

A construção do complexo foi anunciada como uma forma de centralizar os serviços da polícia Civil. O projeto era de um prédio de quatro andares com dois mil metros quadrados de área construída. No térreo deverá ser instalado o IML. O segundo piso abrigará o IGP e a DIC. Já no terceiro pavimento ficará a 1ª e 2ª delegacias e no quarto andar a delegacia do Litoral.

Enquanto a obra não sai do papel, a 1ª delegacia funciona junto com a 2ª depê, ao lado da ponte da Promenac, na Barra do Rio, em um prédio apertado e com problemas estruturais. A central de Plantão Policial está em imóvel alugado na rua Brusque, em frente ao supermercado Angeloni.

Já o IML está funcionando provisoriamente em Balneário Camboriú. Quando o complexo ficar pronto, o instituto deve  voltar para Itajaí.

A delegacia Regional ocupa a parte frontal do imóvel da esquina da Joca Brandão com a Sete de Setembro.


Comentários:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.


Envie seu recado

Através deste formuário, você pode entrar em contato com a redação do DIARINHO.

×





3.238.206.122

TV DIARINHO


Confira os destaques desta terça-feira



Podcast

Minuto DIARINHO 20/04/2021

Publicado 20/04/2021 21:32



Blogs

Blog da Jackie

Novidadeiras

Blog do JC

Aditivo

Blog da Ale Francoise

Fortificante Natural de Uva!

Blog Clique Diário

Primeira Foto do voo inaugural do helicóptero Ingenuity Mars da NASA

Blog Doutor Multas

CNH Bloqueada? Veja o que fazer para regularizar

A bordo do esporte

Tradicional regata Rolex Capri Napoli confirmada em maio

Blog do Ton

Terrazza Praia Brava

Bastidores

Um olhar sobre o teatro de escola



Entrevistão

Volnei Morastoni

"Estamos vivendo a politização da covid”

Marcelo werner

"Quando o Estado publica um decreto às 11 horas da noite para que no dia seguinte seja cumprido, está faltando sintonia com a sociedade”

Marquinhos Kurtz

“[...} O meu posicionamento é contrário ao fechamento total. Eu acho que nós temos que trabalhar, nós temos que ter cuidado, e as coisas precisam funcionar”

Fabrício Oliveira

"Se nós tivéssemos leitos hospitalares nós não estaríamos discutindo lockdown'



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯