Matérias | Geral


Novo temporal volta a causar estragos

Região sofreu com apagão, destelhamentos e quedas de árvores; rajadas tiveram pico de 98 km/h na região da Fazenda, em Itajaí

Redação DIARINHO [editores@diarinho.com.br]



ventania que atingiu a região no fim da noite de domingo voltou a provocar estragos, com casas destelhadas, quedas de placas, de árvores e até um apagão que atingiu mais de 60 mil endereços. Na manhã de segunda-feira, cerca de 30 mil unidades consumidoras seguiam sem energia, conforme a gerência regional da Celesc. No fim da tarde, moradores do bairro Cabeçudas ainda relatavam problemas com a rede de energia.


A Celesc diz que trabalhou durante o dia pra atender os chamados, mas não tinha previsão de normalização total do fornecimento.

 

Bora virar assinante para ler essa e todas as notícias do portal DIARINHO? Usuários cadastrados têm direito a 10 notícias grátis.


Esqueci minha senha




Se você ainda não é cadastrado, faça seu cadastro agora!


 







 






A Celesc diz que trabalhou durante o dia pra atender os chamados, mas não tinha previsão de normalização total do fornecimento.

Continua depois da publicidade



A defesa Civil de Itajaí atendeu cinco ocorrências na madrugada em razão do vendaval de domingo à noite. A velocidade média das rajadas foi de 38 km/h, conforme registro do órgão. O maior pico registrado, segundo o monitoramento da estação do laboratório de Climatologia da Univali, no molhe da praia da Atalaia, foi de rajadas de 98 km/h às 23h05 de domingo.

O vendaval provocou quedas de árvores e destelhamentos nos bairros Fazenda, São Judas e Espinheiros. A situação mais grave foi na rua Amaro Jaques, no bairro Fazenda, onde o vento destelhou parte da cobertura de uma moradia.

A manicure Débora Jaqueline Nunes, de 37 anos, conta que era perto das 22h30 quanto o vendaval arrancou as telhas, descobrindo os quartos e a sala. O telhado era novo e tinha sido colocado após o temporal ocorrido no início do mês. No momento da tempestade, Débora estava com os três filhos pequenos em casa. “Botei eles pra debaixo da mesa”, relata.

O vendaval quebrou os vidros da janela e arrancou a porta de um guarda-roupa. A água da chuva estragou camas, colchões, roupas e móveis. Vizinhos da manicure também tiveram estragos nos telhados e ontem faziam a troca das telhas quebradas. Na casa de Débora, a segunda-feira foi de limpeza e de reparos.

Continua depois da publicidade



Ainda durante a madrugada, a defesa Civil entregou lonas pra família colocar emergencialmente. Débora diz que precisa de doações de camas e colchões, além de telhas pra recuperar a cobertura. O contato com a família é pelo telefone (47) 99743-4759.

Em Balneário Camboriú, a defesa Civil também registrou destelhamentos e quedas de árvores. Uma árvore grandona caiu sobre uma casa e destruiu parte da estrutura, na rua Avelon Cordeiro, no bairro Nova Esperança. Apesar do susto, ninguém de feriu. Na avenida Central, uma placa caiu na fiação elétrica. As famílias que tiveram estragos nos telhados foram atendidas com fornecimento de lonas.

Apagão persistiu ontem

Na manhã de ontem, mais de 30 mil unidades consumidoras ainda seguiam sem energia. O fornecimento pela Celesc não tinha previsão de ser restabelecido totalmente. As cidades mais afetadas foram Camboriú, Bombinhas, Balneário Camboriú, Itajaí e Itapema.

Balneário Piçarras, Barra Velha, Ilhota, Navegantes, Penha e Porto Belo também registraram pontos isolados com falta de luz durante a segunda-feira. O gerente regional da Celesc, Pedro Molleri, informou que as equipes estiveram nas ruas fazendo os reparos na rede elétrica e atendendo as solicitações.

Em Itajaí, que tinha 3838 casas sem energia pela manhã, moradores se queixaram da demora no restabelecimento. Na rua Acylino José Felício, na Murta, parte da rua teve a energia de volta durante a madrugada, mas outra parte ainda segue às escuras desde às 20h de domingo.

No bairro Santa Regina o apagão começou por volta das 22h30 e seguiu pela manhã, com os moradores também reclamando do atraso no conserto. Em Cabeçudas, às 16h30 de ontem, ainda havia relato  de falta de luz. 

“Muitas vezes só temos noção do tamanho do problema quando chegamos no local. Às vezes é rápido, mas pode demorar também. Infelizmente, só sabemos quando chegamos”, ressaltou o gerente da Celesc, Pedro Molleri.

Semana será de calor, chuva e temporais

O risco de chuva com temporais isolados segue hoje no estado, com previsão de menos chance na quarta e na quinta-feira, mas aumentando a partir do final de semana, pela passagem de uma nova frente fria em Santa Catarina.

De acordo com o laboratório de Climatologia da Univali, a semana será de tempo instável na região, com calorão e nuvens carregadas trazendo pancadas de chuva e provocando trovoadas. Os ventos na noite de domingo foram fortes novamente.

Segundo o monitoramento do laboratório, entre as 22h55 e 23h35 de domingo, as rajadas variaram entre 50 e 98 km/h. O pico máximo registrado de 98 km/h foi às 23h05 na estação da Univali junto ao molhe da praia da Atalaia.

Após a manhã de céu aberto ontem, o tempo voltou a fechar durante a tarde. Conforme a previsão da Univali, de hoje até sexta-feira a nebulosidade estará sempre presente, com alguns períodos de abertura de sol e condições de chuva todos os dias, com chance de trovoadas isoladas. Para o fim de semana, segue o risco de novos temporais e maior volume de chuva.

A semana será também de muito calor. As mínimas ficarão entre 20/22°C e as máximas entre 28/34°C. O recorde no fim de semana foi de 33°C e deve ser repetir no próximo finde. Só a quinta-feira será mais fresquinha, com máxima acima dos 26°C. Os ventos seguirão com menos intensidade durante a semana. Devido à instabilidade, são previstas rajadas mais fortes até quinta-feira, acima dos 40 km/h.

Quartel é atingido de novo

Em Ilhota, o quartel do corpo de Bombeiros Voluntários, que já tinha sofrido estragos no vendaval do dia 3 de dezembro, voltou a ser atingido no domingo à noite, comprometendo o atendimento de ocorrências. Novas partes do telhado e de paredes desabaram. Só a central de operações não foi afetada pela ventania. Ontem, a corporação ainda fazia o levantamento dos prejuízos.

“O mais importante, nenhum voluntário se machucou com a queda nas estruturas. Agora é rezar para que nenhum cidadão seja prejudicado pela falta de atendimento e torcer para conseguirmos nos reerguer o quanto antes,” explica o presidente da instituição, Andrey Pereira Egídio.

A corporação já tinha iniciado uma campanha de arrecadação de recursos pra fazer a recuperação da estrutura danificada no início do mês. Pessoas interessadas em ajudar podem fazer doações por depósito bancário. Os dados são: Banco Viacredi (085), agência 0101, conta 896.346-0, em nome da associação Corpo de Bombeiros Voluntários de Ilhota, no CNPJ 07.208.421/0001-51.



Comentários:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.


Envie seu recado

Através deste formuário, você pode entrar em contato com a redação do DIARINHO.

×





44.192.254.246

TV DIARINHO


Confira os destaques desta quinta-feira



Podcast

Minuto DIARINHO 23/09/2021

Publicado 23/09/2021 20:50



Especiais

AMPLIAÇÃO

Portonave projeta investimentos de mais R$ 500 milhões

NAVEGANTES

Atividade portuária consolida a economia

SANTA CATARINA

Navegantes tem o segundo maior aeroporto do estado

NAVEGANTES

Cluster da construção naval é aqui

MERCADO

Navship volta a contratar



Blogs

Blog do JC

Linguagem neutra

A bordo do esporte

Fãs disputam em leilão itens históricos e raridades da Stock Car para Instituto Ingo Hoffmann

Blog do Ton

Chefs Bruno Faro e Willian Vieira comandam noite gastronômica nesta quinta-feira no Quatro7, em Balneário Camboriú

Blog da Ale Francoise

Remédio natural para picada

Blog Doutor Multas

Financiamento e refinanciamento de veículo: afinal, é a mesma coisa?

Blog Clique Diário

O Auditório de Tenerife

Blog da Jackie

CasaCor Santa Catarina

Bastidores

Um olhar sobre o teatro de escola



Entrevistão

Ana Tereza Canziani Pereira Boschi

"O Implanon é tecnologia de ponta, e a gente vai oferecê-lo para as mulheres de Itajaí”

Ana Paula Bastos Cardoso

“O luto tem que ser encarado como uma forma natural da vida”

Fábio da Veiga

"Todos os players do mercado são favoráveis a esse modelo de gestão Landlord”

Francisco Graciola

"O patrimônio é o cliente”



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯