Matérias | Geral


Liminar suspende pregão que contratou nova empresa

Decisão foi em recurso de empresa concorrente de Itajaí que foi desclassificada

Redação DIARINHO [editores@diarinho.com.br]

tribunal de Justiça de Santa Catarina deu decisão liminar favorável à empresa PRM Serviços de Mão de Obra Especializada, de Itajaí, que pedia a suspensão do pregão pra contratação de cogestão do presídio Masculino de Lages. O desembargador Vilson Fontana reconheceu “excesso de formalismo” no edital.


O contrato foi vencido pela Soluções Serviços Terceirizados. A empresa ganhou também os contratos do complexo Penitenciário da Canhanduba, em Itajaí, e da penitenciária Industrial de Joinville ...

 

Bora virar assinante para ler essa e todas as notícias do portal DIARINHO? Usuários cadastrados têm direito a 10 notícias grátis.


Esqueci minha senha




Se você ainda não é cadastrado, faça seu cadastro agora!


 







 






O contrato foi vencido pela Soluções Serviços Terceirizados. A empresa ganhou também os contratos do complexo Penitenciário da Canhanduba, em Itajaí, e da penitenciária Industrial de Joinville em outros dois pregões. A escolha da empresa é contestada pelo sindicato dos Vigilantes de Lages em uma ação popular que está em andamento.

Continua depois da publicidade



A liminar foi dada pelo desembargador na segunda-feira da semana passada, determinando a suspensão do pregão 0057/2019, relativo à licitação de Lages. Antes da decisão, em 17 de novembro, o governo estadual já havia homologado o resultado e assinado o contrato de R$ 13,4 milhões com a empresa.

A PRM, desclassificada da concorrência, discorda do resultado, defendendo que preencheu todos os requisitos legais. A desclassificação se deu pela falta de balanço patrimonial, mas a empresa alega que a exigência seria indevida e que os dados já estariam no certificado de Cadastro de Fornecedores, apresentado na disputa.

O desembargador concordou com a alegação. “A exigência prévia de apresentação em separado do balanço patrimonial, sem razão que transcenda um mero formalismo, soa mesmo irrazoável e desprivilegia a ampla concorrência, se a situação patrimonial da impetrante era aceitável”, anotou no despacho.

O pedido de liminar foi feito no início do novembro, quando o resultado da licitação ainda não havia sido homologado. Apesar da contestação da empresa e da ação do sindicato de Lages contra a contratação da vencedora nos pregões das três unidades prisionais, o governo estadual seguiu com os procedimentos.

Continua depois da publicidade



Decisão afeta contrato

Conforme o representante da PRM, a decisão do TJ vai implicar agora na suspensão da contratação, considerando que o contrato já foi assinado. Apesar de a contratação firmada, o entendimento do tribunal é que o mandado de segurança não perde a razão de ser, por que o certame estaria “eivado de nulidades” que contaminam a celebração do contrato.

A empresa ainda avaliou que o recurso foi aberto antes da homologação do resultado pelo estado. Para a empresa, isso significa que o caso pode ter dois desdobramentos, a classificação da PRM na disputa ou o cancelamento do pregão. A concorrente já pediu que a suspensão da licitação fosse estendida à assinatura e à execução contratual.

Em despacho na última segunda-feira, o desembargador Vilson Fontana não atendeu ao pedido, informando que vai aguardar informações a serem prestadas pela secretaria estadual de Administração sobre a situação do certame.

A secretaria Estadual de Administração informou que recebeu a notificação sobre a liminar. O processo seguiu pra análise da consultoria jurídica pra posterior resposta ao Tribunal. A secretaria adiantou, no entanto, que não será possível cancelar a licitação.

Pregões são alvo de ação popular

Os pregões do estado para a gestão terceirizada de serviços nas unidades prisionais de Itajaí, Lages e Joinville também estão no alvo de uma ação popular aberta na quinta-feira passada pelo sindicato de Vigilantes de Lages. A entidade aponta supostas irregularidades na contratação da empresa Soluções e pede a suspensão do contrato e o lançamento de novos editais, com adequações nos termos. 

Segundo o sindicato, as exigências nas contratações não são compatíveis com os requisitos técnicos previstos nos editais, que terminaram com uma empresa ganhando os três contratos. A entidade ainda citou um relatório técnico do tribunal de Contas, que teria apontado erros graves nos pregões e alertado pra necessidade de retificações, ignoradas pelo estado.

Os três contratos de cogestão prisional já foram assinados pelo governo com a empresa vencedora. Para o complexo de Itajaí, incluindo a penitenciária e o presídio, o contrato de serviços é de R$ 50 milhões, assinado no dia 23 de novembro. Na penitenciária de Joinville, o valor é de R$ 17,6 milhões, com contrato firmado em 17 de novembro. A empresa tem 30 dias pra assumir os serviços a partir das datas de assinaturas.



Comentários:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.


Envie seu recado

Através deste formuário, você pode entrar em contato com a redação do DIARINHO.

×





3.230.144.31

Últimas notícias

Denúncia

Sala de descanso dos funcionários do Marieta está em péssimas condições

Esporte

Aulas gratuitas de handebol em Itajaí

Notícias ALESC

Alesc presta homenagem a atletas e paratletas de SC

CPI da covid

Plano de Saúde teria ocultado mortes em estudo sobre cloroquina

Qualificação

Inscrições pra cursos do Senai começam na segunda

Solidariedade

Família de motoboy acidentado na Schmithausen precisa de ajuda

Empregos

Loja de brinquedos oferece vagas temporárias em BC

Itajaí

Segunda dose da Astrazeneca tá em falta em alguns postinhos

Balneário Camboriú

Prefeitura desmente denúncia de uso irregular de carro de secretaria

SOB SUSPEITA

Compra de R$ 4,7 milhões em máscaras pelo estado é alvo do MPC e TCE



Colunistas

Canal 1

A TV é e sempre será indispensável na transmissão do futebol

JotaCê

Praia Brava

Coluna Esplanada

Minha Toga, Minha Vida

Espaço InovAmfri

Primeiros passos do turismo do futuro na Amfri

Coluna do Janio

Vai começar a Copa

Coluna Tema Livre

O fatídico dia da Independência

Coluna Exitus na Política

Partes e todo

Coluna Adjori SC

Reajustes acendem alerta para gastos com pessoal

Jackie Rosa

ParCÃO

Na Rede

Na Rede

Coluna do Ton

Navegar é preciso

Via Streaming

“Pico da Neblina”

Coluna do Frei Betto

Feijão, fuzil e Araçatuba

Coluna Fato&Comentário

Jardim de Burle Marx: oportunidade perdida por Itajaí

Artigos

Colocando os pingos de grãos nos is

Coluna Existir e Resistir

Entressafra

Clique diário

Encantos da Matriz



TV DIARINHO


Confira os destaques desta quarta-feira





Especiais

AMPLIAÇÃO

Portonave projeta investimentos de mais R$ 500 milhões

NAVEGANTES

Atividade portuária consolida a economia

SANTA CATARINA

Navegantes tem o segundo maior aeroporto do estado

NAVEGANTES

Cluster da construção naval é aqui

MERCADO

Navship volta a contratar



Blogs

Blog Doutor Multas

Financiamento e refinanciamento de veículo: afinal, é a mesma coisa?

Blog do Ton

Confraria da Cozinha confirma dois novos eventos gastronômicos em Floripa

Blog do JC

Irmão Maier chegou

A bordo do esporte

Vela mundial perde o diretor de regatas Jack Loyd

Blog da Ale Francoise

Você conhece os benefícios do cravo?

Blog Clique Diário

O Auditório de Tenerife

Blog da Jackie

CasaCor Santa Catarina

Bastidores

Um olhar sobre o teatro de escola



Entrevistão

Ana Paula Bastos Cardoso

“O luto tem que ser encarado como uma forma natural da vida”

Fábio da Veiga

"Todos os players do mercado são favoráveis a esse modelo de gestão Landlord”

Francisco Graciola

"O patrimônio é o cliente”

Jorginho Mello

“Eu tenho o compromisso do presidente: se eu for disputar a eleição para governador, tenho o apoio dele”



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯