Matérias | Reclamações


Itajaí

Morador tá cansado de ver acidentes em cruzamento

Até ontem, a Codetran tinha registrado 4887 acidentes nas ruas da city. Desses, 59% envolveram jovens com idades entre 18 e 29 anos

Redação DIARINHO [editores@diarinho.com.br]

A quantidade de porradaços que andam rolando no cruzamento da avenida 7 de Setembro com a rua Tubarão, na Fazenda, tá assustando o comerciante Luciano Rebelo, 36 anos. Ele vive pela região há mais de 30 anos e disse que nos últimos meses os acidentes têm se tornado quase diários. “Tá terrível. Não faz nem um mês que um cara de moto tava aqui no chão todo ensanguentado. Esta semana quase deu uma batida. O pessoal quer uma lombada, algo para parar os motoristas. Chega no domingo, isso vira uma pista de corrida”, afirma. O comerciante tá preocupadão e não guenta mais ver tragédias: “Já tive que jogar areia por cima de pedaços de pele e carne que estavam no chão depois de um acidente. Se ninguém tomar alguma providência urgente, só vai piorar”, prevê.


 

Bora virar assinante para ler essa e todas as notícias do portal DIARINHO? Usuários cadastrados têm direito a 10 notícias grátis.


Esqueci minha senha




Se você ainda não é cadastrado, faça seu cadastro agora!


 







 






O chefão da coordenadoria de Trânsito e Transportes de Itajaí (Codetran), José Alvercino Ferreira, explicou que uma lombada próxima ao cruzamento auxiliaria, porém, pode atrapalhar o trânsito. “O cruzamento está sinalizado. Isso acontece por pura imprudência dos motoristas. Colocar uma lombada ali só vai fazer o trânsito ficar mais lento. Isso ajuda de um lado, mas pode dificultar a passagem de carros emergenciais, como dos bombeiros e ambulâncias. Podemos fazer de tudo, mas se os motoristas não têm educação, os acidentes vão continuar acontecendo”, lasca o Zé da Codetran. Ele disse ainda que a coordenadoria estuda implantar um lombada eletrônica no trecho.

Continua depois da publicidade



Quase cinco mil acidentes em 2011

A imprudência de motoras têm rendido pra cidade de Itajaí estatísticas horripilantes. Somente este ano, 4887 acidentes rolaram pelas ruas da city. Até o mês de novembro, 1304 tiveram vítimas, sendo 13 delas fatais. Apesar dos números alarmantes, Zé garante que a cidade tá bem sinalizada.

“Hoje, somos uma das mais organizadas em questão de trânsito em Santa Catarina. O problema maior está na desatenção e pressa dos motoristas”, pondera.

Continua depois da publicidade



Entre os dados deste ano da Codetran, um dos que chama atenção é a faixa etária das vítimas nos acidentes. Em 59% deles, jovens de 18 a 29 estão envolvidos. A sabichona em psicologia da Univali, Rosana Marques da Silva, justifica os números. “A gente vê na literatura o que acontece. O jovem tem necessidade de violar regras, violar leis. Na maioria das vezes, os acidentes são gerados por eles não por desatenção, mas sim porque criaram por vontade própria uma situação que gerasse risco. Quando vamos ficando mais velhos, o mais comum é que os acidentes ocorram por distração mesmo”, explica.


Comentários:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.


Envie seu recado

Através deste formuário, você pode entrar em contato com a redação do DIARINHO.

×





18.206.238.77

TV DIARINHO


Entrevistão com Heli Schlickmann - Técnico Agrícola e Gestor ambiental



Podcast

Minuto DIARINHO 14/05/2021

Publicado 14/05/2021 20:29



Blogs

Blog do JC

Morre Bruno Covas

Blog Doutor Multas

Cadastro do Bom Motorista: o que é e como fazer o seu?

A bordo do esporte

Team Childhood vence etapa prólogo da The Ocean Race Europa

Blog Clique Diário

A Ilha de Pedra

Blog do Ton

Maior importadora de móveis do Brasil abre a primeira loja própria em Santa Catarina

Blog da Ale Francoise

Ervas do bem para o estresse!

Blog da Jackie

Hering comprou a Arezzo

Bastidores

Um olhar sobre o teatro de escola



Entrevistão

Heli Schlickmann

" Nas cidades arborizadas as pessoas são mais felizes”

Liba Fronza

"O Navegay traz uma multidão de pessoas, não gera receita financeira e causa uma demanda social muito grande”

Volnei Morastoni

"Estamos vivendo a politização da covid”

Marcelo werner

"Quando o Estado publica um decreto às 11 horas da noite para que no dia seguinte seja cumprido, está faltando sintonia com a sociedade”



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯