Matérias | Política


Itajaí

Pavan garante que tá livre de processo

Hoje, advogado do tucano reúne a imprensa pra dar oficialmente a notícia

Redação DIARINHO [editores@diarinho.com.br]

A dona justa estadual não acatou a denúncia-crime por improbidade administrativa e corrupção passiva, feita pelo Ministério Público e que pesava sobre o ex-governador Leonel Pavan (PSDB). É o que informou ontem ao DIARINHO o próprio tucano, feliz da vida com o resultado. As acusações tão ligadas ao resultado da operação Transparência, uma investigação feita pela polícia Federal em 2009 e que envolve abobrões que estiveram no comando do governo do estado e empresas apontadas como sonegadoras de impostos. Como o processo criminal rola em segredo de justiça, a decisão – caso realmente tenha saído – não tá acessível ao público no saite do Tribunal de Justiça.


 

Bora virar assinante para ler essa e todas as notícias do portal DIARINHO? Usuários cadastrados têm direito a 10 notícias grátis.


Esqueci minha senha




Se você ainda não é cadastrado, faça seu cadastro agora!


 







 






Ao conversar com o DIARINHO ontem à tarde pelo telefone, Pavan parecia eufórico. “Eu falei que tava sendo injustiçado, falei que era inverdade, que não tinha cabimento”, disparou o ex-governador, completando: “Só tinha aquele indício do meu nome citado por alguém numa escuta telefônica. Por isso sempre acreditei na Justiça”.

Continua depois da publicidade



O advogado Cláudio Gastão da Rosa Filho, de Floripa, confirmou ao DIARINHO a notícia dada por seu cliente. Mas limitou-se a dizer: “Amanhã [hoje], às 10h, vou reunir a imprensa no meu escritório pra informar sobre o caso”.

Apesar de feliz pela decisão judicial, Pavan fez questão de dizer que sofreu perdas com o envolvimento do seu nome na operação Transparência. “A parte emocional foi muito grande, minha família sofreu, teve choro e isso não tem como reparar”, afirmou. Também reclamou da grana que precisou gastar com o advogado.

Mas o maior dano parece ter sido mesmo o político. “Isso me enfraqueceu para pleitear a vaga para governador. Talvez hoje fosse eu o governador”, desabafou.

Entenda como Pavan entrou no rolo

Continua depois da publicidade



A operação Transparência da PF foi montada em janeiro de 2009 e investigou denúncias de sonegação de impostos em empresas do ramo dos combustíveis. No meio do caminho, os federas descobriram um esquema pra beneficiar a Arrows Combustíveis do Brasil, que envolvia funcionários da secretaria Estadual da Fazenda, funcionários públicos e, pela acusação dos federas, também o então vice-governador do estado, Leonel Pavan. O tucano virou governador meses depois, com a saída de Luiz Henrique da Silva (PMDB).

A Polícia Federal indiciou Pavan e mais seis pessoas. O então vice-governador foi acusado pelos crimes de corrupção passiva (receber grana em troca de favor), quebra de sigilo funcional (vazar informações sigilosas) e de advocacia administrativa (usar do cargo público pra defender interesses de particulares).

A prova usada pela PF pra botar Pavan no rolo eram afirmações feitas por outros envolvidos no esquema que, em ligações telefônicas grampeadas sob permissão da dona justa, citavam o nome dele.

Ainda sobre o mesmo caso, Pavan responde como réu numa ação civil pública também movida pelo Ministério Público Estadual por improbidade administrativa e que foi aceita pela dona justa.

 


Comentários:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.


Envie seu recado

Através deste formuário, você pode entrar em contato com a redação do DIARINHO.

×





3.236.231.61

Últimas notícias

Balneário Camboriú

GM prende foragidos que aprontavam no trânsito

INVERNO

Rede Sustentável de Entidades promove Campanha do Agasalho em Penha

Camboriú, Penha e Bombinhas

Campanha Zera Dívida segue com descontos de até 70% na fatura de água

Flagra

Mercadorias para camelôs, avaliadas em R$ 50 milhões, são aprendidas

NAVEGANTES

Bandido é morto roubando o banco Sicoob

BALNEÁRIO

Clientes levam surra por esquecer de pagar dois chopes em bar

Quinta e domingo

Definidas as datas das finais do Paulistão

Balneário Camboriú 

PA da Barra volta a funcionar após reformas

Imbituba

Casal é preso com mais de 200 quilos de maconha

Morte no hotel  

MC Kevin teria tentado pular na piscina 



Colunistas

Coluna do JC

Show de horrores

Coluna Esplanada

Urna inauditável!?

Coluna Exitus na Política

Qual o nome que o nome tem?

Canal 1

“Salve-se Quem Puder,” gravada na pandemia, estreia hoje sua última fase

Coluna Animal Humano

Cidade que te quero verde

Via Streaming

“Mais Uma Rodada”

Coluna do Ton

Coluna do Ton

Clique diário

Cabeçudas

Coluna Fato&Comentário

CULTOS AFRICANOS EM ITAJAÍ: RESISTIR E SOBREVIVER

Espaço InovAmfri

Faça chuva ou faça sol

Coluna do Frei Betto

Resta-me humanidade?

Coluna Tema Livre

“Tudo Bandido”

Coluna do Janio

Semifinal marcada

Jackie Rosa

Às mamães com carinho

Na Rede

Na Rede

Coluna Existir e Resistir

Direito invisível

Artigos

Livros embarcados

Coluna Adjori SC

Economia de Santa Catarina inicia 2021 com confiança e expectativa em alta



TV DIARINHO


Entrevistão com Heli Schlickmann - Técnico Agrícola e Gestor ambiental



Podcast

Minuto DIARINHO 14/05/2021

Publicado 14/05/2021 20:29



Blogs

Blog do JC

Quer tudo?

A bordo do esporte

The Ocean Race e TIME firmam parceria

Blog Doutor Multas

Cadastro do Bom Motorista: o que é e como fazer o seu?

Blog Clique Diário

A Ilha de Pedra

Blog do Ton

Maior importadora de móveis do Brasil abre a primeira loja própria em Santa Catarina

Blog da Ale Francoise

Ervas do bem para o estresse!

Blog da Jackie

Hering comprou a Arezzo

Bastidores

Um olhar sobre o teatro de escola



Entrevistão

Heli Schlickmann

" Nas cidades arborizadas as pessoas são mais felizes”

Liba Fronza

"O Navegay traz uma multidão de pessoas, não gera receita financeira e causa uma demanda social muito grande”

Volnei Morastoni

"Estamos vivendo a politização da covid”

Marcelo werner

"Quando o Estado publica um decreto às 11 horas da noite para que no dia seguinte seja cumprido, está faltando sintonia com a sociedade”



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯