Matérias | Política


Itajaí

Promotora vai esperar intimação da dona justa pra decidir se recorre da decisão

Redação DIARINHO [editores@diarinho.com.br]

Enquanto o ex-governador Leonel Pavan (PSDB) comemora a decisão da dona justa de não ter aceitado a denúncia-crime contra ele por improbidade administrativa e corrupção passiva, o Ministério Público (MP) da Santa & Bela pensa sobre o próximo passo.


 

Bora virar assinante para ler essa e todas as notícias do portal DIARINHO? Usuários cadastrados têm direito a 10 notícias grátis.


Esqueci minha senha




Se você ainda não é cadastrado, faça seu cadastro agora!


 







 






De acordo com a assessoria de comunicação do órgão, a promotora da Moralidade Administrativa de Floripa, Juliana Padrão Serra de Araújo, só soube da decisão pela imprensa, portanto, vai aguardar a intimação pra poder se manifestar sobre a possibilidade de recurso. Isto deve acontecer até o finde.

Continua depois da publicidade



“Os fatos narrados pelo promotor público não se ajustam à roupagem legal e não estavam embasados em nenhuma prova lícita”, defendeu o advogado do tucano, Cláudio Gastão da Rosa Filho. A denúncia do MP era de que Pavan tava envolvido em crimes investigados pela operação Transparência – deflagrada pela polícia Federal em 2009, que envolveu bagrões do governo do estado e empresas que, supostamente, sonegavam imposto. Mas o Tribunal de Justiça não acatou o pedido do MP. A decisão foi do juiz Alexandre Rosa, da 4ª Vara Criminal de Floripa.

Durante entrevista coletiva na manhã de ontem, tanto o ex-governador quanto o defensor dele fizeram questão de recordar que, se dependesse deles, a decisão não teria demorado esses dois anos. Eles tinham certeza que não tinha rolado nada de ilegal, por isso queriam que o julgamento rolasse o mais rápido possível. “Lembro que fui pessoalmente à assembleia legislativa pedir autorização pra que o Tribunal de Justiça abrisse processo, se fosse o caso”, contou o tucano.

Reflexos na política

A operação Transparência explodiu no fim de 2009, às vésperas do período em que Pavan iria assumir o comando do estado, por causa da renúncia de Luiz Henrique da Silveira (PMDB), que iria concorrer a uma vaguinha no Senado. Na época, o tucano era um dos mais cotados pra ser o candidato a governador pela Tríplice Aliança (PSDB, PMDB e DEM). A denúncia interrompeu os planos. Ao invés de assumir o governo em janeiro, Pavan só sentou no lugar de Luiz Henrique no fim de março, quando a poeira baixou.

Continua depois da publicidade




Comentários:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.


Envie seu recado

Através deste formuário, você pode entrar em contato com a redação do DIARINHO.

×





3.238.206.122

TV DIARINHO


Confira os destaques desta terça-feira



Podcast

Minuto DIARINHO 20/04/2021

Publicado 20/04/2021 21:32



Blogs

Blog da Jackie

Novidadeiras

Blog do JC

Aditivo

Blog da Ale Francoise

Fortificante Natural de Uva!

Blog Clique Diário

Primeira Foto do voo inaugural do helicóptero Ingenuity Mars da NASA

Blog Doutor Multas

CNH Bloqueada? Veja o que fazer para regularizar

A bordo do esporte

Tradicional regata Rolex Capri Napoli confirmada em maio

Blog do Ton

Terrazza Praia Brava

Bastidores

Um olhar sobre o teatro de escola



Entrevistão

Volnei Morastoni

"Estamos vivendo a politização da covid”

Marcelo werner

"Quando o Estado publica um decreto às 11 horas da noite para que no dia seguinte seja cumprido, está faltando sintonia com a sociedade”

Marquinhos Kurtz

“[...} O meu posicionamento é contrário ao fechamento total. Eu acho que nós temos que trabalhar, nós temos que ter cuidado, e as coisas precisam funcionar”

Fabrício Oliveira

"Se nós tivéssemos leitos hospitalares nós não estaríamos discutindo lockdown'



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯