Matérias | Polícia


Itajaí

Bandidos explodem caixa eletrônico na Barra do Rio

Na fuga, safados trancaram vigia de posto de gasosa no carro

Redação DIARINHO [editores@diarinho.com.br]

A madrugada de sábado foi barulhenta pros moradores da Barra do Rio, em Itajaí. Bandidos fortemente armados explodiram um caixa eletrônico do banco Bradesco na rua Alfredo Eicke, por volta das 3h da madruga. Quatro bandidos usaram dinamite pra mandar pelos ares o caixa eletrônico, e depois conseguiram siscapulir. Pra executar o plano, eles fizeram o vigia do posto Sofia, que fica ao lado do banco, de refém. Na fuga, os caras ainda trocaram de carango pra despistar os milicos. A polícia não soube informar se os ladrões chegaram a levar dindim do caixa eletrônico.


 

Bora virar assinante para ler essa e todas as notícias do portal DIARINHO? Usuários cadastrados têm direito a 10 notícias grátis.


Esqueci minha senha




Se você ainda não é cadastrado, faça seu cadastro agora!


 







 






Pouco antes de 3h, os bandidos chegaram no banco. Pra não correr risco de alguém chamar a polícia, eles fizeram de refém o funcionário de um posto que fica ao lado do banco. Porém, a explosão foi tão alta que vizinhos ouviram o barulhão e chamaram a polícia, que chegou poucos minutos depois no Bradesco.

Continua depois da publicidade



Mesmo assim, os bandidos conseguiram siscapulir no Peugeot 307, placa ASM-2376 (Curitiba/PR). Houve perseguição e os milicos perceberem que os criminosos usavam armas pesadas, como calibre 12 e metralhadores. Antes que fossem pegos, os caras abandonaram o carango no Imaruí, próximo à empresa Intergel, e fugiram em outro possante, um Palio prata.

O vigia do posto foi largado no porta-malas de um Golzinho que tava estacionado na frente do posto. Segundo funcionários do posto Sofia, o coitado do trabalhador se chama Vonaldo.

De acordo com o cabo de plantão da PM de Itajaí, Hermelino Noel, o carango Peugeot tinha registro de roubo em Curitiba. A polícia acredita que, pelas características do crime, os bandidos são bem experientes em atraques a caixas eletrônicos. “Pelo material usado, e a estratégia de fuga bem planejada, eles são profissionais”, opina Noe.

Ninguém ficou ferido na explosão. O carango foi levado pra 1ª depê peixeira, onde o caso também está sendo investigado. A polícia não soube informar se os bandidos levaram dindim do banco. Imagens do sistema de câmeras do posto de gasosa foram encaminhadas pro instituto Geral de Perícias (IGP) da city.

Continua depois da publicidade



O ano de 2011 foi um festival de ataques a caixas eletrônicos em nossa região

O ano de 2011 vai ficar marcado na história como o que a bandidagem descobriu os ataques aos caixas eletrônicos na região. Teve quase um ataque por cidade. As contempladas foram Tijucas, Bombinhas, Porto Belo, Itapema, Camboriú, Luiz Alves, Penha, Balneário Piçarras e Itajaí.

Em Tijucas, no dia 4 de agosto, seis homens armados invadiram a cerâmica Porto Belo, explodiram uma máquina cospe-dinheiro e fugiram levando toda a grana que tinha por lá. Na mesma madruga, uma dupla rendeu o vigia da prefa da Itapema e, com a ajuda de uma chave de fenda, abriu o caixa eletrônico do banco do Brasil e surrupiou todo o dinheiro.

Em setembro, os bandidos mandaram pro alto o caixa eletrônico que fica em frente à prefeitura de Navegantes. Na ocasião, os safados ainda mandaram tiros pra cima do vigia. Por sorte, ninguém se machucou. Em 3 de setembro, os bandidos atacaram dois caixas ao mesmo tempo: Luís Alves e Camboriú. Na Terra da Cachaça, o estrago foi tão grande que quase toda a agência do banco foi pelos ares. Mesmo assim, os bandidos não conseguiram levar a grana. Em Cambu, os criminosos tiveram mais sorte e competência: explodiram o cofre, pegaram o dinheiro e fugiram. No início de outubro, os bandidos voltaram a atacar um caixa eletrônico de um posto de gasolina de Itapema.

No dia 19 de novembro, a quadrilha voltou a atacar e explodiu caixas eletrônicos de uma agência do Bradesco, em Tijucas, Santa Catarina. A explosão pode ser ouvida a um quilômetro de distância e assustou pacientes que davam no hospital da cidade. O valor levado dos caixas não foi informado pela polícia.

No dia 30 de novembro, os moradores da rua Nereu Ramos, no bairro Meia Praia, em Itapema, acordaram com uma baita explosão. Os bandidos colocaram explosivos nos caixas eletrônicos do banco Bradesco e mandaram ver. Ao todo, nove terminais foram atingidos. O grupo teria faturado cerca de R$ 80 mil. No dia do crime, os bandidos também abandonaram um carro roubado com placas de Curitiba.

Um bando já caiu

No início do mês de novembro, a polícia Civil desencadeou a operação Rastro e colocou seis pessoas metidas com a venda de explosivos em cana. As prisões rolaram em São Bento do Sul e Itajaí. Francisco Franco, 31 anos, o Chiquito, Anésio Pereira Machado, 53, de São Bento, e Diogo Sagaz, 22, o Doido, Geovane da Silva, 22, Ariane Zin da Silva, 23,e Juliano Grimes, 27, de Itajaí, já estão trancafiados. Com o bando foram guentados nove quilos de dinamite, quantia suficiente pra explodir 20 caixas eletrônicos. Só na revenda dessa carga, o bando lucraria R$ 8 mil.


Comentários:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.


Envie seu recado

Através deste formuário, você pode entrar em contato com a redação do DIARINHO.

×





3.236.231.61

TV DIARINHO


Confira os destaques desta terça-feira



Podcast

Minuto DIARINHO 11/05/2021

Publicado 11/05/2021 22:10



Blogs

Blog Clique Diário

A Ilha de Pedra

Blog Doutor Multas

Modelo de recurso de multa online

Blog do JC

Salvo pela velha política?

A bordo do esporte

Inmarsat será pela sexta vez parceira de comunicações via satélite da The Ocean Race

Blog do Ton

Maior importadora de móveis do Brasil abre a primeira loja própria em Santa Catarina

Blog da Ale Francoise

Ervas do bem para o estresse!

Blog da Jackie

Hering comprou a Arezzo

Bastidores

Um olhar sobre o teatro de escola



Entrevistão

Liba Fronza

"O Navegay traz uma multidão de pessoas, não gera receita financeira e causa uma demanda social muito grande”

Volnei Morastoni

"Estamos vivendo a politização da covid”

Marcelo werner

"Quando o Estado publica um decreto às 11 horas da noite para que no dia seguinte seja cumprido, está faltando sintonia com a sociedade”

Marquinhos Kurtz

“[...} O meu posicionamento é contrário ao fechamento total. Eu acho que nós temos que trabalhar, nós temos que ter cuidado, e as coisas precisam funcionar”



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯