Matérias | Geral


Itajaí

Secretário de Segurança admite o problema e diz que é difícil resolvê-lo

Redação DIARINHO [editores@diarinho.com.br]

“Temos consciência do problema. A coisa na Beira-rio proliferou de uma maneira que saiu do controle. Sabemos que traficantes agem ali”. O relato acima é do secretário de Segurança do Cidadão de Itajaí, Carlos Ely, que apesar de admitir o perrengue, revela que acabar definitivamente com os traficantes na avenida Beira-rio vai demandar um tempo, pois as operações naquela área se limitam a um patrulhamento ostensivo inibitório – feito em conjunto pelas polícias Civil, Militar e Codetran. “Esse trabalho inibitório só serve por uma semana, mas no momento é isso que temos condições de fazer”, afirma o abobrão.


 

Bora virar assinante para ler essa e todas as notícias do portal DIARINHO? Usuários cadastrados têm direito a 10 notícias grátis.


Esqueci minha senha




Se você ainda não é cadastrado, faça seu cadastro agora!


 







 






A falta de efetivo policial é, de acordo com Ely, o motivo de não fazer um trabalho mais duradouro no ponto turístico da city. Mesmo sabendo que o tráfico se concentra num pequeno trecho da via, ele diz que foram feitas imagens e fotografias apontando quem são os traficantes, mas, ele ressalta, muitas vezes, depois de presos, os criminosos são soltos em seguida. “Algumas vezes até pela pequena quantidade de droga, outras pela falta de provas do crime, como a extorsão, que também é praticada por eles”, relata, dizendo que, em Balneário Camboriú, um flanelinha foi condenado a quatro anos de prisão por extorsão, após uma mulher ter filmado o momento do achaque.

Continua depois da publicidade



Pra tentar acalmar os peixeiros, Carlos Ely garante que no início de janeiro vai solicitar reuniões com o governo estadual pra pedir um aumento no efetivo das forças policiais da cidade. “Vamos aproveitar a reclamação dos moradores e comerciantes, somada à chegada da Volvo Ocean Race (VOR), pra pedir de forma urgente um aumento dos agentes públicos na segurança das ruas da cidade”, jura.

Polícia vai investigar

O major Ibrain Franz Junior, comandante interino da polícia Militar de Itajaí, confirmou que o problema constatado pelo DIARINHO preocupa as autoridades, mas disse que no momento não iria se pronunciar sobre o assunto do tráfico de drogas na Beira-rio, uma vez que isso poderia atrapalhar investigações que a PM estaria fazendo. “Estamos investigando essas denúncias, por isso não podemos falar no momento”, conta.

O chefão da 4ª Delegacia Regional de Polícia Civil, delegado Rui Garcia dos Santos, afirma que estão sendo feitas investigações de inteligência num levantamento detalhado da situação na avenida Beira-rio, onde, diz ele, a atuação das autoridades se dará de forma conjunta. “Estamos fazendo uma investigação detalhada junto com a polícia Militar e com a secretaria de Segurança do Cidadão pra poder detalhar qual tipo de operação vamos fazer no local”, afirma.

Continua depois da publicidade




Comentários:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.


Envie seu recado

Através deste formuário, você pode entrar em contato com a redação do DIARINHO.

×





3.236.231.61

TV DIARINHO


Entrevistão com Heli Schlickmann - Técnico Agrícola e Gestor ambiental



Podcast

Minuto DIARINHO 14/05/2021

Publicado 14/05/2021 20:29



Blogs

Blog do JC

Treta total

A bordo do esporte

The Ocean Race e TIME firmam parceria

Blog Doutor Multas

Cadastro do Bom Motorista: o que é e como fazer o seu?

Blog Clique Diário

A Ilha de Pedra

Blog do Ton

Maior importadora de móveis do Brasil abre a primeira loja própria em Santa Catarina

Blog da Ale Francoise

Ervas do bem para o estresse!

Blog da Jackie

Hering comprou a Arezzo

Bastidores

Um olhar sobre o teatro de escola



Entrevistão

Heli Schlickmann

" Nas cidades arborizadas as pessoas são mais felizes”

Liba Fronza

"O Navegay traz uma multidão de pessoas, não gera receita financeira e causa uma demanda social muito grande”

Volnei Morastoni

"Estamos vivendo a politização da covid”

Marcelo werner

"Quando o Estado publica um decreto às 11 horas da noite para que no dia seguinte seja cumprido, está faltando sintonia com a sociedade”



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯