Matérias | Polícia


Itajaí

Receita apreende mercadorias falsificadas

Em números de contêineres, foi o maior atraque da história no país. Ao todo, 13 caixotões tavam lotadaços de roupas, calçados, relógios e joias fajutões

Redação DIARINHO [editores@diarinho.com.br]

A alfândega da Receita Federal de Itajaí divulgou ontem a maior apreensão de produtos falsificados, em número de contêineres, da história do órgão no Brasil. Durante a operação Barba Negra foram retidos 13 caixotões abarrotados de produtos falsificados. O total de mercadorias apreendidas, avaliado em 260 toneladas, tá estimado em mais de R$ 50 milhões.


 

Bora virar assinante para ler essa e todas as notícias do portal DIARINHO? Usuários cadastrados têm direito a 10 notícias grátis.


Esqueci minha senha




Se você ainda não é cadastrado, faça seu cadastro agora!


 







 






Dentro dos contêineres estavam mercadorias de marcas conhecidas, como Nike, Armani, Dolce & Gabbana, Adidas, Ray-ban, Ferrari, Puma, Tommy Hilfiger, Chanel, Mormaii e Arnette, entre outras. Os fiscais da Receita Federal informaram que a muambada chegou no porto de Navegantes (Portonave) vinda da China. Toda a bagulhada será destruída.

Continua depois da publicidade



Entre o amontoado de objetos, todos falsificados, estavam joias, relógios, pulseiras, camisas, bermudas, tênis, óculos, ternos, bolsas e até lentes de contato. José Carlos de Araújo, inspetor-chefe da Receita de Itajaí, afirmou que as mercadorias falsificadas foram descobertas durante uma fiscalização de rotina no porto dengo-dengo, esta semana. “Conforme o tipo de mercadoria, existe um procedimento padrão de fiscalização, dependendo do risco que oferece. Essas foram apreendidas durante uma verificação normal”, limitou-se a dizer.

As muambas, que vieram em mais de um navio, abasteceriam empresas de São Paulo. Mas o chefão da Receita preferiu não revelar os nomes das firmas ou dos donos. O próximo passo é investigar se existe alguma relação entre esses importadores, pra tentar saber se há uma quadrilha por trás da importação. “Essa empresas deverão responder processo administrativo no futuro”, disse José Carlos.

A peça mais cara entre os bagulhos apreendidos era um relógio da marca Ayrton Senna que, mesmo usado, tá avaliado em R$ 42 mil.

Continua depois da publicidade




Comentários:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.


Envie seu recado

Através deste formuário, você pode entrar em contato com a redação do DIARINHO.

×





18.206.238.77

TV DIARINHO


Entrevistão com Heli Schlickmann - Técnico Agrícola e Gestor ambiental



Podcast

Minuto DIARINHO 14/05/2021

Publicado 14/05/2021 20:29



Blogs

Blog do JC

Morre Bruno Covas

Blog Doutor Multas

Cadastro do Bom Motorista: o que é e como fazer o seu?

A bordo do esporte

Team Childhood vence etapa prólogo da The Ocean Race Europa

Blog Clique Diário

A Ilha de Pedra

Blog do Ton

Maior importadora de móveis do Brasil abre a primeira loja própria em Santa Catarina

Blog da Ale Francoise

Ervas do bem para o estresse!

Blog da Jackie

Hering comprou a Arezzo

Bastidores

Um olhar sobre o teatro de escola



Entrevistão

Heli Schlickmann

" Nas cidades arborizadas as pessoas são mais felizes”

Liba Fronza

"O Navegay traz uma multidão de pessoas, não gera receita financeira e causa uma demanda social muito grande”

Volnei Morastoni

"Estamos vivendo a politização da covid”

Marcelo werner

"Quando o Estado publica um decreto às 11 horas da noite para que no dia seguinte seja cumprido, está faltando sintonia com a sociedade”



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯