Matérias | Polícia


Itajaí

Gurizão sistepora em poste das Cabeçudas

Gurizão de Sampa aprontou e teve a carteira e o carango apreendidos

Redação DIARINHO [editores@diarinho.com.br]

O barbeirão Leandro Portet Porto, 33 anos, beijou um dos poste da rua Deputado Francisco Evaristo Canziani, nas Cabeçudas, em Itajaí, depois de sair de uma balada. Um morador do bairro, que presenciou o acidente, contou ao DIARINHO que a porrada foi tão forte, que o motorista chegou a quebrar o parabrisas com a cabeça.


 

Bora virar assinante para ler essa e todas as notícias do portal DIARINHO? Usuários cadastrados têm direito a 10 notícias grátis.


Esqueci minha senha




Se você ainda não é cadastrado, faça seu cadastro agora!


 







 






O acidente rolou perto das 9h da matina, quando quatro jovens voltavam da balada Warung, que fica na praia Brava. Eles estavam com o Focus, placa MLC-8100 (São Paulo/SP). Leandro, que é natural de Sampa, logo depois de passar uma curva em alta velô perdeu o controle do carango e foi direto no poste da rua deputado Evaristo Canziane, pouco antes da praia do Geremias.

Continua depois da publicidade



O morador das Cabeçudas contou ainda que os quatro ocupantes saíram do carango cambaleando e pareciam estar embriagados. Acabaram levando o porradaço na brincadeira e chegaram a descer até a praia do Geremias pra tomar um banho enquanto o carango estava todo detonado no poste. “Como se não bastasse os quatro se jogaram no mar para quem sabe curar a ressaca até a chegada do Codetran”, ironizou o leitor.

Quando os agentes da coodenadoria de Trânsito (Codetran) chegaram, Leandro se negou a fazer o teste de bafômetro e e foi liberado. Isso revoltou o povão, que foi pra cima dos guardinhas pra saber porque o motora não foi detido. “Disseram que apenas aplicaram uma multa de R$ 914,00 ao condutor. O que é um absurdo, já que muitos moradores costumam caminhar na orla no horário do acidente”, lasca o rapaz que assitiu toda a cena.

Carango foi apreendido

José Alvercino Ferreira, chefão da Codetran, informou que o carango e a carteira do motorista sem-noção foram apreendidos, e o sujeito vai responder processo. Pela bronca, pode perder a CNH por cerca de seis meses, explica o chefão da Codetran. “Apreende-se a carteira e o veículo, mas ele é liberado, não tem provas de que ele estava bêbado”, disse Zé, ressaltando que Leandro não quis fazer o teste do bafômetro pra comprovar que tava manguaçado. “Infelizmente a lei é falha, ninguém é obrigado a constituir prova contra si”, lamenta o abobrão, referindo-se ao fato de os motoras poderem se recusar a fazer o teste de embriaguês.

Continua depois da publicidade



O morador das Cabeçudas que presenciou a cena, ficou revoltado. “Pessoas morrem por este tipo de impunidade”, carcou. Pra ele, o motora barbeirão deveria ter sido levado preso pra depê.


Comentários:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.


Envie seu recado

Através deste formuário, você pode entrar em contato com a redação do DIARINHO.

×





3.236.231.61

TV DIARINHO


Confira os destaques desta terça-feira



Podcast

Minuto DIARINHO 11/05/2021

Publicado 11/05/2021 22:10



Blogs

Blog Clique Diário

A Ilha de Pedra

Blog Doutor Multas

Modelo de recurso de multa online

Blog do JC

Salvo pela velha política?

A bordo do esporte

Inmarsat será pela sexta vez parceira de comunicações via satélite da The Ocean Race

Blog do Ton

Maior importadora de móveis do Brasil abre a primeira loja própria em Santa Catarina

Blog da Ale Francoise

Ervas do bem para o estresse!

Blog da Jackie

Hering comprou a Arezzo

Bastidores

Um olhar sobre o teatro de escola



Entrevistão

Liba Fronza

"O Navegay traz uma multidão de pessoas, não gera receita financeira e causa uma demanda social muito grande”

Volnei Morastoni

"Estamos vivendo a politização da covid”

Marcelo werner

"Quando o Estado publica um decreto às 11 horas da noite para que no dia seguinte seja cumprido, está faltando sintonia com a sociedade”

Marquinhos Kurtz

“[...} O meu posicionamento é contrário ao fechamento total. Eu acho que nós temos que trabalhar, nós temos que ter cuidado, e as coisas precisam funcionar”



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯