Colunas


Coluna Exitus na Política

Por Sérgio Saturnino Januário - pesquisa@exituscp.com.br

Exorcismo de Janus


Janus, deus romano do tempo, é a marca das mudanças e transições. Janeiro, abertura de calendários, é o lastro da mudança, da renovação e das promessas de diferenças. Apesar de seus desígnios, há uma sensação de que o tempo apenas se acumula no calendário, sem transformação das coisas e das pessoas, e das relações, e das esperanças. Do futuro, em outros tempos, saltar ondas era deixar passar o que já se fora, marcar o impulso muscular para frente e dar passos largos adiante.

 

Bora virar assinante para ler essa e todas as notícias do portal DIARINHO? Usuários cadastrados têm direito a 10 notícias grátis.


Esqueci minha senha




Se você ainda não é cadastrado, faça seu cadastro agora!


 







 





O ano de 2019, como rebento, se prometia nascido de transformação pela revolta. O voto de 2018 era a expressão da vingança, um tapa violento na cara do passado, um espasmo contra a traição por corrupção comprovada em acordos de leniência, um impulso contra a mentira contada como verdade.

A pandemia também sacudiu a caminhada do mundo. Lembremos dos casos de morte e o espanto do calvário dos já mortos acumulados em caminhões na Itália, do desespero em atendimento em saúde pública, da arca dos heróis dos incansáveis e, por vezes, desesperados, “linha de frente”.

Adiante, ao passar dos dias, o tempo ficara estagnado. As comemorações em festa marcadas em calendário, como ritos de passagem, perderam o sentido de impulso do tempo. A sensação de estarmos de olhos fechados desde então, vendo o sol nascer, a chuva cair, como se o tempo nada pudesse transformar.

Estacionados numa esquina que não avança pelo sinal fechado, estamos a esperar, e olhar para cima, à espera de um viride mais comum nas ervas e nas folhas das árvores do que na transição astronômica. Uma gravidez que, com leves contrações, prometia mais dor que nascimento.

Uma luta aqui, notícias e informações propositadamente falsas, ainda que construída com lógica formal-instrumental a lhe dar resultados de 1+1=2, a política se põe a navegar em embarcações cheias de furos e avarias. Naus de desfaçatez, remos de corrupção da verdade, velas de imoralidade dos cartões corporativos, dos recursos infinitos e com regras de boiada para fundos partidários e eleitorais, com fechamento para empresas, os ventos não são propícios à cidadania, à democracia, ao mínimo da boa vontade.

Depois de tantos pesadelos, em estado de insônia, já estamos cansados de nos encontrarmos no mesmo lugar, na mesma luta. Janus não nos veio, não trouxe do passado a ruptura, nem alavancou na passagem a transformação. Navegamos no mesmo mar, em círculos, e encontramos os mesmos no mesmo leme. De tanto rodar já não há como andar para frente. O tempo rodopia, a respiração em redemoinho não permitia a transformação.

Nas urnas as mesmas caras, nos discursos as mesmas arrogâncias, na postura as mesmas mentiras, e no tempo o mesmo passado. Janus, como exorcista, nos abre frestas diminutas, mal entra um mínimo raio de sol de inverno. No mesmo lugar ainda não andamos, a despeito do cansaço de tantos passos.


Comentários:

Deixe um comentário:

Somente usuários cadastrados podem postar comentários.

Para fazer seu cadastro, clique aqui.

Se você já é cadastrado, faça login para comentar.

Leia mais

Coluna Exitus na Política

Bocas e orelhas

Coluna Exitus na Política

O super-avô

Coluna Exitus na Política

Banco do congresso nacional

Coluna Exitus na Política

O velório da República

Coluna Exitus na Política

Sonhos em Tarimbas

Coluna Exitus na Política

Mamãe eu quero

Coluna Exitus na Política

O grito do meu medo

Coluna Exitus na Política

Ser sozinho, com os outros

Coluna Exitus na Política

A água que afoga

Coluna Exitus na Política

Conversar para negar

Coluna Exitus na Política

Direitos e privilégios

Coluna Exitus na Política

Formigas, cigarras e gafanhotos

Coluna Exitus na Política

Planejamento, organização e subir escadas

Coluna Exitus na Política

O farelo que cai da mesa

Coluna Exitus na Política

Partes e todo

Coluna Exitus na Política

Independência, pátria, mátria

Coluna Exitus na Política

A finitude do rei, a vida da coroa

Coluna Exitus na Política

Joel Mattias, um garoto mimado

Coluna Exitus na Política

Nadar em fumaça

Coluna Exitus na Política

Tempo, tempo, tempo...



Blogs

A bordo do esporte

Especialistas em cripto jogos apostam em projetos como o Meta Soccer para jovens investidores

Blog do JC

Ou vai ou racha?

Blog Doutor Multas

Como falar de improviso?

Blog da Ale Francoise

Conhece os benefícios para sua saúde do ILIB!?

Bastidores

Grupo Risco circula repertório pelo interior do Estado

Blog do Ton

Banho Energético para a Virada de Ano

Blog da Jackie

BALNEÁRIO FASHIOW foi SHOW

Blog Clique Diário

Ilha das Cabras - Balneário Camboriú



Entrevistão

Gabriel Castanheira

"Se tiver que prender mil vezes o cara, vamos prender mil vezes. É isso que eu converso com a tropa. Tem casos de pessoas que nós prendemos mais de 40 vezes [...] Cometeu um crime? Encaminha para a delegacia.”

Rodrigo Fernandes

"Os jovens, com certeza, têm a capacidade e o potencial de mudar o resultado de uma eleição”

Érica Becker e Pedro Junger

“Já tem dados que comprovam que o ser humano está ingerindo o próprio plástico que insere nos oceanos”, Érika Becker

Ciro Gomes

"O brasileiro tá pagando agora o preço do derivado de petróleo, da gasolina, em dólar”

TV DIARINHO

Confira os destaques desta segunda-feira



Podcast

Minuto DIARINHO 17/01/2022

Publicado 17/01/2022 21:37


Especiais

Tradição

DIARINHO: 43 anos na liderança do jornalismo regional

PREVISÕES 2022

Oráculos apostam em um ano de desafios e solidariedade

TUDO JUNTO

Itajaí Shopping une compras, serviços e lazer

COLETA SELETIVA

Navegantes, Penha e Piçarras ainda não dispõem de coleta seletiva

BALNEÁRIO CAMBORIÚ

Crescimento da coleta seletiva



Hoje nas bancas


Folheie o jornal aqui ❯